sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Noé o Profeta do Dilúvio


“No começo Deus criou os céus e a terra”. (Gênesis 1.1). Diante de tantos pecados e idolatrias o povo ficou cada vez mais pervertido. Deus não gostou nada disso, e vendo o que estava acontecendo decidiu destruir a terra. 
Mas antes disso, teve compaixão do mundo; e sabendo que existia justos, levantou um Profeta para levar uma voz de advertência a humanidade sobre o que iria ocorrer. Esse Profeta era Noé!
Noé era um homem que sempre obedecia a Deus. Tinha três filhos: Sem, Cão e Jafé. Entre todos os homens contemporâneos a ele, era o que vivia em comunhão com Deus. As outras pessoas eram más, como também violentas e exercia essas maldades por toda parte. (Gênesis 6.9-12).
Deus olha para o mundo e ver como a humanidade não quer saber Dele, e vive a mercê dos seus próprios desejos carnais; e não gosta dessa forma como vivem e decide acabar com tudo.  O mesmo se dará no fim dos dias: “A vinda do Filho do Homem será como aquilo que aconteceu no tempo de Noé. Pois, antes do dilúvio, o povo comia e bebia, e os homens e mulheres casavam, ate o dia em Noé entrou na Arca. Porém não sabiam o que estava acontecendo, até que veio o dilúvio e levou todos. Assim também será a vinda do Filho do Homem”. (Mateus 24.37-39). “Deus não deixou escapar o mundo antigo, mas trouxe o dilúvio sobre o mundo dos que não queriam saber de Deus. A única pessoa que Ele salvou foi Noé, que anunciou que todos deviam obedecer a Deus. E Deus também salvou mais outras sete pessoas”. (dois Pedro 2.5).
Está ai o julgamento estranho de Deus. Mas, Ele mostra Seu amor, pois Noé e sua família foram salvos.  Noé era um homem integro e tinha fé; ele não deixou de ouvir os avisos de Deus sobre as coisas que iam acontecer e que não podiam ser vistas. Qual era a mensagem de Noé? “Arrependam-se dos seus pecados!”.  Deus é um Deus de sentimentos, e parece que esse, é igual ao do ser humano, pois Ele muitas vezes “se arrepende” ( I Samuel 15.1,35 ; Jeremias 18. 7-10). Todos esses sentimentos são tais como: tristeza, alegria, raiva, alívio etc. Sem que isso mude a Sua perfeição divina. 
Ha exemplo de Enoque, Noé vivia da mesma maneira, e não se envolvia com os pecados daquela região; foi por isso que Deus o escolhera. 
Deus escolhe Profeta certo para um propósito certo. O mundo antigo vivia na prostituição, idolatria, casando e descasando, comendo de tudo e com libertinagem. Deus não poderia permitir o que era perfeito, tornar-se imperfeito a tal ponto de sair do original do que Ele queria para a humanidade. Esse é o grande problema! Veio o pecado através de Satanás e trouxe o bem e o mal, mas, o homem tem a decisão de escolhas e muitas vezes essa é errada. E para que isso não fique pior, Deus é obrigado mudar o mundo através da força.
Deus sempre escolhe antes de fazer qualquer coisa em relação à terra um Profeta, para advertir o que Ele irá fazer. Esse era Noé homem que fez tudo conforme Deus pedira. (verso 22)
Noé condena o mundo e por essa condenação recebe a aprovação de Deus. (Hebreus 11.7). Noé não se preocupou o que o povo pensaria dele, mesmo sabendo que poderia ser: ridicularizado, testado, maltratado, humilhado e dito, como louco.
Noé relevou e obedeceu conforme Deus havia dito. Para ele, era mais importante servir da maneira adequada e certa do que viver como vivia o povo pecador.  
Antes de destruir a humanidade, Deus mostra Seu amor, e ainda testa aquele que Ele aprova para levar Sua mensagem de destruição. Houvesse o povo obedecido, talvez, Deus não haveria destruído o mundo. Noé confiou plenamente em Deus, pois sabia que Ele teria um meio de escape como havia lhe apresentado.  Ele sempre promete uma aliança, mas antes dessa, quer ver o cumprimento da perseverança daqueles que os escolhe para Seus propósitos.  Noé perseverou durante 120 anos a pregar, e diz: “Arrependam-se dos seus pecados o mundo irá acabar”.  Naquele tempo não havia chuvas, somente uma neblina (chuvisco) passava na terra e regava-a. (Deuteronômio 32.2). A pregação de Noé não era vista com bons olhos; afinal como poderiam cair águas torrentes na terra se essa mesma não existia? Mesmo assim, Noé não se recusa a pregar que o mundo iria acabar com torrentes de chuvas, vinda dos céus.
Noé começa a construção e a cada martelada revelava seu objetivo e o que Deus havia lhe dito: “Irei acabar com todos os seres humanos. Eu os destruirei também a terra, pois está cheia de violência”. (verso 13). 

Noé prega sobre o dilúvio que virá iminente e essa, leva 120 anos e o povo zombado dele: “Noé cadê as chuvas dos céus?”. Noé calmo e tranquilo repete ecoando com uma voz solitária dizendo: “Arrependam-se dos seus pecados, pois Deus irá destruir a todos os seres humanos”. Ninguém acredita ninguém aceita, não ver razões claras e fatos concretos para acreditar que o mundo ira acabar com águas.  O mesmo se dá hoje, o povo diz: “Como acreditar que o mundo irá acabar com fogo e enxofre, pois nunca caíra fogo dos céus?”.  Assim é Deus, o que para muitos é impossível para Ele é Sua forma de atuação. 
Chega a hora para Noé e os seus familiares, entrar na arca. Ninguém acreditou na sua mensagem, ninguém aceitou, ninguém ouviu, e ninguém será salvo.  Durante muitos anos fala da destruição, do que irá ocorrer; mas, ninguém quer crer. Foi o momento exato, é agora: “Tinha Noé seiscentos anos de idade, quando o dilúvio veio sobre a terra”. (Gênesis 7.6). Não esperou mais, Deus manda-lhe entrar e ainda ele espera sete dias para vir às águas do dilúvio. (verso 10). Não deixou que o dilúvio caísse sobre ele e seus familiares, “entra na arca com seus filhos, a sua mulher e as suas noras. Os animais puros e os impuros [para limpar as sujeiras que as pessoas e os animais puros deixariam tantos eles também], os que se arrastam pelo chão e as aves. Entraram com Noé na arca de dois em dois, macho e fêmea, como Deus havia mandado”. (Verso 8 e 9). Deus pede para ele deixar uma janela que se possa abrir para entrar a luz e o ar. (verso 16). Deus sempre pensando no bem para aqueles que O ama. 
Noé avistou a saída, ele percebeu a relevância do que Deus tinha-lhe dito. Não foi arrogante, nem tampouco presunçoso, achando que poderia fazer do seu jeito às coisas de Deus. Ele havia determinado a forma de salvação e Noé obedeceu aos ditames das Suas regras. 
Hoje Deus tem Suas regras através dos Seus Mandamentos esses são dez, e nenhum deles são normas difíceis de serem cumpridas. Ele nos ama e sabe a melhor maneira de nos salvar. Sabe que precisamos de um dia de descanso para renovar as nossas forças e restabelecer a união familiar, assim também como observar sua criação através da natureza que nos deixou nesse, no dia de sábado. 
 Noé ouviu e não recusou ser obediente e ainda quando saiu da arca, ofereceu sacrifícios a Deus, o Senhor. (Gênesis 8. 20). Deus gosta das oferendas de Noé e faz uma aliança com ele, sabendo que, nunca mais acabaria a humanidade com o dilúvio. Deus expressa seu amor afirmando que: “Também nunca mais destruirei todos os seres vivos, como fiz desta vez. Enquanto o mundo existir, sempre haverá semeadura e colheita, frio e calor, verão e inverno, dia e noite”. (verso 22). É um erro pensar que o mundo acabará pelas coisas da natureza, pois Deus assume de forma clara nas Suas Escrituras Sagradas que sempre haverá seres vivos. Deus jurou e disse: “No tempo do dilúvio, eu jurei a Noé que nunca mais as águas cobririam a terra. Assim eu juro agora que nunca mais ficarei irado com você, que jamais castigarei de novo”. (Isaías 54.9). 
Perceba que esse juramento de não destruir a humanidade foi um pacto feito a Noé, e não a nós. Como nos dias de Noé houve a destruição com o dilúvio; no nosso tempo a destruição será com fogo e enxofre, você querendo crer ou não. Deus alertou a Noé a advertir o povo contra a calamidade que viria a todo ser humano, pois se faziam extremamente pecadores, aborrecendo a Deus. Hoje é o mesmo que acontece. Adultérios, fornicações, mortes, roubos, falsidades, prosperidades indevidas, e sem amor ao próximo. Tudo que havia no passado nos dias de Noé, hoje se dar por igual modo.
Após todos os eventos finais da época de Noé ocorrido, Deus permite que eles saiam da arca e espalhem-se sobre a terra e enchei-a de filhos.
Além de comer os animais e os alimentos verduras que Deus mesmo dera. (9.3); porém proíbe-nos de comerem o sangue, como também de se matarem, alegando que se alguém o fizer será também justiçado. (verso 5 e 6). Por fim, Deus faz uma aliança com Noé mostrando-lhe um arco íris como uma lembrança que todas as vezes que aparecer no céu, Ele lembrará que não haverá de destruir a terra com o dilúvio. Deus nos faz uma promessa de um novo céu e uma nova terra para aqueles que os obedece e cumpre Seus Mandamentos e Suas Normas. Reflita e pense: Estou obedecendo hoje como fez Noé no passado, e foi salvo não somente ele como toda a sua família da destruição do mundo pecaminoso? A resposta é somente sua! E a decisão deve ser rápida! Mesmo parecendo o cumprimento da volta de Jesus Cristo e o fim do mundo parecer longe ou distante, devemos crer: Ele irá voltar e Sua Palavra não falha e nem deixa de ser cumprida. Assim ela diz: “Virá, pois, como ladrão o dia do Senhor, no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se dissolverão, e a terra, e as obras que nela há, serão descobertas”. (2 Pedro3.10).
Esteja você preparado para esse grande evento do final da história deste mundo.