domingo, 18 de agosto de 2013

A Divindade de Jesus Cristo - O Deus Pleno.


           
A Bíblia Sagrada assim apresenta Jesus Cristo como um Deus, principalmente no Novo Testamento, sete vezes é-nos descrito:No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. (João 1:1), no verso 14, vemos o Verbo que era Deus fazer-se homem e ainda revela que o filho tinha há mesma glória do Pai.

 O próprio discípulo Tomé reconhece Jesus ser Deus quando diz: “Senhor meu, Deus meu”!”. (João 20.28);

 Tito exulta-o quando chegar à hora de vê-lo no aparecimento da Sua glória, como Deus. (Tito 2.13);

 O apóstolo Paulo lembra a todos que Deus havia falado agora através do seu Filho, Jesus Cristo, e mostra que o trono dele subsiste eternamente, "O Teu Reino, ó Deus, vai durar para todos o sempre." como sendo um cetro de equidade e justiça. (Hebreus 1.1 e 8); 

o apóstolo Pedro acrescenta que recebeu desse Deus, Jesus Cristo, uma preciosa justiça (2 Pedro 1.1); 

João, não contente de ter mostrado que Jesus veio em carne mesmo sendo Deus, ele ensina novamente: “E sabemos que já o Filho de Deus é vindo, e nos deu entendimento para que conheçamos ao Verdadeiroe no que é verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna.” (1 João 5:20); 

o apóstolo Paulo não deixa dúvida nenhuma quanto à divindade de Jesus Cristo: “Dos quais são os pais, e dos quais é Cristo segundo a carne, o qual é sobre todos, Deus bendito eternamente. Amém.” (Romanos 9:5). 

Sendo homem não poderia deixá-lo de ser, Deus, por está a divindade intrinsecamente Nele. Elle G. White assim declara: “Cristo não podia ter vindo a Terra com a glória que possuía nas cortes celestes. Seres humanos pecadores não suportariam vê-Lo. Ele velou Sua divindade com a roupagem da humanidade, porém, não se desfez de Sua divindade.” (Review and Herald, 15-06-1905). 

Como Deus apareceu na estrada de Emaús para os dois discípulos:  “E aconteceu que, indo eles falando entre si, e fazendo perguntas um ao outro, o mesmo Jesus se aproximou, e ia com eles.” (Lucas 24:15).

 O contexto nos apresenta sua aparição entre eles. (Lucas 24.13-31),  e quando os dois falavam que Jesus havia ressuscitado e aparecido entre eles, aqueles que estavam ouvido-os ficou espantados quando mais uma vez Jesus Cristo aparece no meio deles. (Lucas 24.36-37).
 Isso é uma prova contundente da sua divindade. 

Aos Colossenses, Paulo afirma ser Jesus Cristo pleno da divindade: “ Pois é pela própria vontade de Deus que o Filho tem em Si mesmo a natureza completa de Deus.” (Colossenses 1.20). 

Ora, se é completo, é pleno! Ex. Pegamos um copo d’água e enchemos até a boca (borda), ele precisa de mais água? Claro que não! Porque à água está cheia no copo. Ou seja, completa. Sem precisar de mais água. Pois bem, se em Jesus Cristo está cheio da divindade até seu ser distinto, não precisa de mais nada. Somente neste exemplo que foi apresentado, provaria Sua divindade(Deus). Porém, existem ainda aqueles que duvidam da sua plenitude divina. 

Ellen G. White disse: “A Divindade e a humanidade combinaram-se misteriosamente, e o homem e Deus se tornaram um.”, “Jesus tomou a humanidade e a acrescentou à divindade. Ele revestiu Sua divindade com a humanidade.” (Review and Herald e Signs of de Times).

Conclusão: Mesmo que queiramos rejeitar a Divindade de Jesus Cristo dentro das Escrituras Sagradas, não encontraremos nada que nos dê este cabimento ou suporte para isso. Aliás, os textos que foram devidamente pesquisados na Bíblia revelam-nos, Suas duas naturezas distintas, homem e Deus,  inseparáveis como perfeita. 

Mesmo como homem não houve pecados existentes, e como Deus não os tinha por ser perfeito e completo.  Devemos ignorar como também rejeitar toda a suposta afirmação não ser Ele, Jesus Cristo Deus. [G].