sábado, 4 de janeiro de 2014

A Loucura dos Homens


       
      
“De fato a mensagem da morte de Cristo na cruz é loucura para os que estão se perdendo; mas para nós, que estamos sendo salvos é o poder de Deus. Pois as Escrituras Sagradas dizem:

‘Destruirei a sabedoria dos sábios e acabarei com o conhecimento dos instruídos’.
Então, o que poderão dizer os sábios e os instruídos? O que vão dizer os oradores deste mundo? “Deus tem mostrado que a sabedoria deste mundo é loucura”.(I Coríntios 1.18).

Pois bem. Que loucura você tem enfrentado? Seria achar que o dinheiro é a solução dos seus problemas? Volte para a cruz! Sua dificuldade está no seu relacionamento com sua esposa? Olhe para a cruz! Você está preso na bebida ou nos prazeres deste mundo? Levante sua cabeça para cima e veja a cruz.

Seus desejos são promíscuos, homossexuais, adultério, fornicação e prostituição? Na cruz ninguém iria pensar nisso.

Quanto vale o homem para Deus? Se não vale nada, por que Jesus Cristo morreu? Talvez nós nunca tivéssemos pensado no valor da sua morte, por que pensamos somente no que queremos para nos satisfazer. É o mesmo que aquele homem que juntou todo seu patrimônio: guardou-o, escondeu, colocou num banco e poupou. Louco, vem-lhe a morte e tira sua fortuna.

O homem que semeia no seu coração o pecado acariciado, sua crença está voltada para uma vida sem esperança, por que seu foco não está na entrega, mas nos seus desejos.

Pensa está sendo feliz nas coisas que os cerca. Se uma mulher está presa por não ter para onde ir, talvez seja porque o erro não esteja no marido, mas porque se submeteu há outros erros.

Se um bêbado não consegue sair da bebida, não é porque à bebida o prende, não, é porque sua vontade não está em sair realmente, visto o seu desejo é continuar bebendo.
Conheci vários viciados que disseram: “De hoje em diante, não bebo e não fumo mais”.

É o próprio homem que procura trazer-lhe à culpa. Suas dificuldades muitas vezes estão nas suas escolhas. Porém, existem muitos tipos de escolhas que lhes parecem perfeitas, mas não são.

Por exemplo: o homem que vive adulterando ou fornicando, como pode viver bem com sua companheira (o)? Muitos casais querem viver bem, contudo, não abandonam o pecado do adultério escondido.

Vivem culpando o outro pelos seus fracassos no casamento, onde não consegue enxergar que, o problema está nele mesmo.

O homem é um ser pensante, pois Deus o criador, criou-os para direcioná-los bem, mas em vez disso, o homem não pensa e age como louco.

Loucos pelas bebidas, loucos pelos cigarros, loucos pelas mulheres, loucas pelos homens, loucos pelos desejos acariciados e loucos por tudo que é ruim para si mesmo.
Em busca de algo que não conseguem ver, porque se fazem loucos. Não é o próprio homem que se destrói? Não é ele que mata, que estupra, que rouba, que comete adultério, que age com insensatez?

Por si só o homem é louco, é que não quer ser restaurado; quer continuar na sua loucura, no seu direito descabido de falta de inteligência.

Depois reclama: “por que as coisas não são do jeito que deve ser?” Por que sua biografia está manchada com o escuro pecado.

Sua necessidade não está em resolver seu problema que os torna submisso nesse jogo que os tomou conta, não, porque não consegue perceber que sua restauração espiritual ou sua mudança de vida, tem que está ligada na cruz de Cristo.

Não adianta querer vingar-se agindo com a mesma moeda, pois isso cansa, e não resolve seu problema. Eu conseguiria resolver meu problema de dinheiro, roubando? Claro que não! Só aumentaria meus problemas ainda mais.

O problema ai é o orgulho que prende, que te submete ao erro, que te torna escravo (a).

Também o nosso problema, muitas vezes é nós mesmo, que temos traços do pecado familiar que carregamos conosco. Teu pai ou tua mãe era uma adultera e fazia as coisas erradas na nossa frente. E nós achamos no direito de fazer o mesmo? Se quisermos viver com essa praga do pecado no nosso corpo, não podemos ser felizes, porque aqueles que nos cercam não são idiotas ou doidos que não irão perceber nossos erros epicenos, quanto nossas faltas.

Achamos que podemos esconder tudo, contudo, nossas ações nos mostra quem somos e por onde andamos.

Existe em todo ser humano aceitar suas dificuldades que nos permeiam a cada dia normalmente, e mesmo que não a queiramos nos aparece, porém, existem aquelas que buscamos e queremos que estejam juntas conosco, porque alimentamo-las todos os dias. 

Sabe aquele pecadinho que achamos que ninguém percebe? Pois é, achamos que os outros não veem. Ledo engano!

“Porque, se pecarmos voluntariamente, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados” (Hebreus 10:26).

Pedro nos alerta numa de suas cartas que, o homem sem domínio próprio jamais poderá entrar no reino de Deus.

Nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho. 1 Pedro 5:3;

E Jesus nos dá uma grande advertência quanto ao adultério e outros pecados admitidos:

“A candeia do corpo é o olho. Sendo, pois, o teu olho simples, também todo o teu corpo será luminoso; mas, se for mau, também o teu corpo será tenebroso”. Lucas 11:34

O homem, verdadeiro cristão, caminha com seus atos e palavras, dominando sua vontade, sobre o equilíbrio adequado. 

Todos os seus desejos animalescos, são-lhes equilibrados pela sua mente com o raciocínio devido, onde se nega fazer o errado.

Muitos vivem como que sua vontade, seus desejos e suas promiscuidades são os mais importantes da sua vida, visto viver por meio disto e não fora disto.

Mas quando permeia-lhe a solidão, perceber que sua busca, seu refúgio e seus erros, não podem preencher seu vazio, ai é quando já é tarde demais para apalpar aqueles que um dia esteve do seu lado.

Porém, nada se perde desde que submetamo-nos a cruz de Cristo, por que muitas vezes na solidão da vida é por onde podemos encontrar a paz e companhia que não tivemos quando não entendemos bem a nossa natureza pervertida.

Muitos pensam que sua saída está no dinheiro, e vão às igrejas que prometem prosperidade e supostamente felicidade, mas quando acordam, é quando percebem que foram enganados, pois continuam com o oco da vida.

Nossa vida caro amigo (a), só pode ser preenchida com a loucura da cruz. Fora dela, não se pode encontrar felicidade, e muito menos transformação de vida.

É certo reconhecer ser pecador, mas não continuar pecando é o maior objetivo que deva ter em todo verdadeiro cristão sincero.

Veja isso: se alguém assassinasse nosso filho, nós o queríamos solto? Claro que não! E como o assassino poderia parar de matar, se não preso? Assim é o pecado, uma vez preso, o homem para de pecar.

Alguns não conseguem perceber o pecado, muitas vezes porque não querem mesmo abandoná-los, visto acharem gostoso e prazeroso viver nos erros admitidos, contudo vivem querendo viver bem e tranquilos no meio que vivem.

Como pode, roubarem, matarem, adulterarem e cobiçaram coisas e arrancando-as tomaram para si, e presunçosamente quererem viver adequadamente na sociedade, tomo que tiraram dos outros, coisas que lhes pertenciam?

Amar o próximo é respeitá-lo e não furtar aquilo que lhe pertence. Ora, não é porque nós não assaltamos de arma em punho que não cometemos erros, não, é tirarmos aquilo que pertence há outros. Exemplo: uma mulher ou homem de outra pessoa.

Esse pecado do adultério no passado era juízo de morte, de apedrejamento, e em alguns países no oriente, ainda agem assim, embora ser feito só com a mulher. Uma vergonha!

Por isso que Deus nos diz nas suas Escrituras, que a nossa justiça, é trapo de imundície.

Os homens quase de modo geral, não tem o espírito de Deus, porque se enganam e hipocritamente pecam com pecados para a morte.

Alguns constantemente acham e ironicamente pensam estarem fazendo a vontade de Deus. Quando Jesus alertou os fariseus e saduceus sobre justiça e misericórdia, eles tinham certeza que estavam fazendo o certo diante dos homens. Porém, sua hipocrisia era tamanha que mesmo quando queria apedrejar Maria Madalena, não conseguiram ver que eles mesmos haviam adulterados com aquela mulher.

Isso é o mesmo que acontecem hoje, muitos estão enganando-se e enganando outros com seus pecados admitidos, onde na sua imaginação, acham que Deus os perdoará por tamanha safadeza.

Querem satisfazem-se suas necessidades pervertidas e andarem no caminho santo. Mas, qual caminho te parece santo, o adultério ou a fidelidade? Como disse Jesus: “raças de víboras e de serpentes venenosas, como escapareis do juízo vindouro?”.

Conclusão

O homem em seu intimo quer alcançar salvação, contudo não almeja deixar seus desejos de animais, visto dizer, ter vindo do mesmo.

Não sei se você sabe caro amigo, mas nenhum animal será salvo.

Na Bíblia nos diz: “Eis que faço tudo novo”.

Não quer você deixar de ser animal, e viver como um ser criado à semelhança do seu criador?

A mais bela riqueza que um homem pode e deve alcançar é, ser rico para com Deus, rico na santidade mesmo em meio a tantas nojeiras que vemos por todos os lados.
Ao sofrer tamanhas derrotas, frustações, perversões, e até mesmo se algum dia você sofreu algum tipo de estupro, há uma chance para você: Olhe para cima e Jesus olhará para baixo. Amém! [Galhardo].








http://igrejaremanescente-igrejaremanescente.blogspot.com.br/