sexta-feira, 31 de maio de 2013

As Marionetes do Mundo da Mídia Illuminati


LOS ANGELES - Minha mãe combateu o câncer por quase uma década e morreu aos 59 anos. Conseguiu sobreviver por tempo suficiente para conhecer seus primeiros netos e tê-los nos braços. Mas meus outros filhos jamais terão a oportunidade de conhecê-la e de descobrir o quanto ela era amorosa e carinhosa.
Muitas vezes conversamos sobre a "mamãe da mamãe", e me vejo tentando explicar a doença que a tirou de nós. As crianças perguntaram se o mesmo podia acontecer comigo. Sempre respondi que não deviam se preocupar, mas a verdade é que porto um gene "defeituoso", o BRCA1, e isso eleva acentuadamente meu risco de desenvolver câncer de mama e câncer de ovário.
Meus médicos estimaram que eu tinha risco de 87% de câncer de mama e de 50% de câncer de ovário, ainda que os riscos sejam diferentes de mulher para mulher.
Apenas uma fração dos cânceres de mama resultam de uma mutação genética herdada. As mulheres com BRCA1 defeituoso têm, em média, 65% de risco de desenvolver a doença. Veja aqui o texto todo aqui
Fonte: Folha de São Paulo

 Nota: Ficou agora um tormento essas pesquisas de DNA com algum supostos tipos de problemas. Ah de se pensar: Estaria correto tirá qualquer tipo de órgão para se proteger de alguma doença que talvez nunca apareça? Ficou claro no caso de Angelina Jolie que é pura vaidade! O que será que irá acontecer daqui há alguns anos de pesquisa cientifica, com relação ao tratamento preventivo? Sou contra que as pessoas tomem medidas abusivas preventivas muito antecipada; com o objetivo de alegar que estão se cuidando para não adquirir nenhuma doença. Mero auto-egocentrismo!