sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Moisés - O Profeta das Sociedades


Moisés o homem profeta, o servo de Deus das descobertas, da primeira civilização, nos autênticos e, mais antigas Escrituras Sagradas. Vemos nele sua sabedoria através do conhecimento obtido pelos seus estudos, mesmo no campo criativo das emoções, das culturas, das controvérsias, como as circunstâncias, locais e comuns diferentes de sociedades.
Nos seus escritos proféticos lemos as histórias significantes para entendermos o começo, das civilizações, tais como: Assíria, Babel, Babilônia, Caldeia etc. Os ensinos nos leva, aos pastores, aos astrólogos, sacerdotes, tribos e etnias.
Deus havia lhe mostrado como seria a adoração perfeita, para que, pudessem adorá-lo de maneira certa; e não como, seres da natureza, ou identificando ser, uma força e poder dos céus; mas, um Deus poderoso e que atua na vida do ser humano por amá-los.
Como ser humano constituísse de sentidos, e emoções que pode transformá-los; a agirem e pensarem pelas ilusões, que afetam muitas vezes a razão e ideias; Deus mostrou-lhe através de visões e de esclarecimentos usando a Sua própria voz, para alertar como deveria o povo proceder da melhor maneira possível, aqueles que o seguia. Algumas pessoas separadas dos seus costumes antigos, das suas paixões obtidas pelos tempos, das suas subordinações entranhadas nas mentes, deveriam e por instruções adequadas receber as verdades reveladas; para poderem exercer a verdadeira liberdade do conhecimento do grande e único Deus.

Deus sabia onde deveriam eles morar, queria por Moisés estabelecer a maneira mais importante de privilegiar uma nação num lugar melhor e com sabedoria.  Eles estavam cansados da escravatura, porém não esqueciam o lucro que obtinha das comidas servidas, dos alhos, das cebolas, e das carnes que lhes traziam no Egito.  Passaram tantos séculos servindo, que se acostumaram às desgraças e maltrato. Não viam o futuro que estava posto na frente.
Por vezes no deserto reclamavam e murmuravam, sob o sol escaldante, embora a nuvem os protegesse, fazendo sombra, sobre eles.  Esqueceram as mãos de libertação que Deus os tirou do poder do faraó. Sobre opressão e domínio viviam e mesmo reclamando diariamente não perceberam o fardo que viviam, e agora libertos. Moisés disse: “Havemos de ir caminho de três dias ao deserto, para que ofereçamos sacrifícios ao Senhor nosso Deus, como Ele nos ordenar”. (Êxodo 7.16). Quando Deus ordenou, o povo não aceitou.
E como é o povo de hoje, aceita o que Deus quer? Ou, diz, não aceitamos Sua determinação e muito menos o jeito como quer que obedeçamos as suas leis!

A decisão é sua! Aceitar ou rejeitar!