sexta-feira, 17 de maio de 2013

Carta à Igreja de Filadélfia


             
Introdução
   Filadélfia era distante de Sardes mais ou menos 120 km. E seria destruída por volta dos anos 17 d.C. por um grande terremoto. Logo em seguida fora restaurada. Seu nome hoje se chama Allah Shehr. Contendo várias igrejas mesquitas muçulmanas. Uma das coisas de destaque são sua vasta colina e uma coluna que está em pé até hoje.

   Filadélfia uma igreja de um avivamento forte onde o traço se iguala à profecia de João. Diferente de Sardes, na qual que tinha um sentimento mórbido.

Filadélfia uma cidade de uma terra onde tinha solo forte, bom e fofo, para receber o evangelho e progredir.  “E as sementes que foram semeadas em terra boa são aquelas pessoas que ouvem, e entendem a mensagem, e produzem uma grande colheita: umas cem; outras, sessenta; e ainda outras, trinta vezes mais do que foi semeado” (Mateus 13.23).

   “Esta é a mensagem daquele que é santo e verdadeiro”. Em Isaías, ao vê-lo, os serafins expressavam: “Santo, Santo, Santo é o Senhor dos Exércitos”. Essa glória do Senhor que resplandecia nos olhos aos de Isaías faziam-lhe reconhecer seus próprios pecados e do povo, onde estava morando.

“E verdadeiro”. De aquele Ser supremo, sai-lhe a verdade e uma verdade pessoal digna de muita confiança; pois, conhecia quem era que lhe transmitia.

“Ele tem a chave que pertencia ao rei Davi”. Ele é o mesmo Senhor da raiz da casa de Davi. “Darei a ele as chaves do cargo que ele ocupará como o homem mais poderoso do país, logo abaixo do rei. O que ele abrir ninguém fechará, e o que ele fechar ninguém abrirá” (Isaías 22.22). É Ele que tem nos ombros a eternidade do céu (Isaías 9.6).

   “Quando Ele abre, ninguém fecha, e quando Ele fecha, ninguém abre”. Jesus Cristo é esse que entrou no céu, e depois deixou-nos uma porta aberta, para os seus irmãos entrarem também.

   “Eu sei o que vocês estão fazendo. Sei que tem pouca força”.  Jesus sabia tudo que essa igreja estava cometendo e nada lhe podia passar despercebido aos seus olhos. Ela estava vazia de Si própria. Tinha percebido na sua mente que sua guerra era espiritual. “Pois nós não estamos lutando contra seres humanos, mas contra as forças espirituais do mal que vivem nas alturas, isto é, os governos, as autoridades e os poderes que dominam completamente este mundo de escuridão” (Efésios 6.12). Sentia-se incapaz de lutar sozinha sem à força dos céus. E somente através da ajuda da Palavra de Deus é que poderá vencer as tentações deste mundo tenebroso. (Apocalipse 3.8).

   Hoje muitos não querem render-se; impõe condições para esse rendimento. Como pode o fraco querer impor seus pecados admitidos, ajustar à Palavra de Deus? Somente os fracos rendem-se no aceitamento de perversões existente fora da realidade dos escritos proféticos. Porém, o de pouca força espiritual deveria render-se aos ensinos certos. O espírito de renuncia de Filadélfia está no cristão que não oferece resistência nenhuma quando Deus chama-os. “Mas Ele me respondeu: ‘A minha graça é tudo o que você precisa, pois o Meu poder é mais forte quando você está fraco [rende-se]” (2 Coríntios 12.9).

   “Vocês tem seguido meus ensinamentos e tem sido fiéis a Mim”. (Apocalipse 3.8).  Muitos tem a Palavra de Deus embaixo do braço, nas gavetas, estantes e armários. Mas Filadélfia a tem nos corações dos fiéis. “Escondi a tua Palavra no meu coração, para eu não pecar contra Ti” (Salmo 119.11).

   Filadélfia cumpriu sua missão. João Wesley, em seu diário disse: “Fui à América converter os índios, mas oh!, quem me converterá?” Esse era o espírito do verdadeiro coração arrependido e disposto à conversão. Nesse tempo os pregadores como Wesley, George Whitefield, William Carey sentiu o chamado para pregar uma mensagem verdadeira de arrependimento e conversão ao Senhor.

   “Não negaste o meu nome” (Apocalipse 3.8).
 1) Reflete como um espelho a santidade de Deus. “... Cristo está em vocês, o que lhes dá a firme esperança de que vocês tomarão parte na glória de Deus” (Colossenses 1.27).

 2) Reflete como um espelho a verdade de Deus.  O verdadeiro cristão não anda pecando deliberadamente, mas procura santificar-se.

3) Reflete como um espelho a glória de Deus. O Cristão procura seguir os ensinamentos da Palavra de Deus, onde sua vida é um testemunho para aqueles que vivem em pecado.

4) Reflete como um espelho o amor de Deus, não somente com palavras. (Tiago 2.17). “Se tiverem amor uns pelos outros, todos saberão que vocês são meus discípulos” (João 13.35). “Quem ama os outros não faz mal a eles. Portanto, amar é obedecer a toda a lei” (Romanos 13.10); Inclusive os Dez Mandamentos de Deus.

   A Igreja de Filadélfia alcançou a vitória: 1) Aqueles que eram mentirosos iriam cair diante dessa igreja. (v.9); 2) Deus iria protegê-los no tempo da aflição ao mundo por causa da prova do seu testemunho. (v.10); 3) E receberam a grande recompensa da vitória por está seguindo o que Jesus Cristo determinou, e fará dela uma coluna no templo de Deus, como também lhe dará o nome de Deus e da cidade Nova Jerusalém. (vs. 11 e 12).
   Conclusão

   O Espírito de Deus foi derramado nos homens, e grandes reformas aconteceram nos corações das pessoas que ouviam o pregar do clamor deste avivamento. Deus queria que muitas entrassem pela porta que Ele havia aberta; e os irmãos de Filadélfia atenderam ao chamado e obedeceram à visão celestial. “... Eu não desobedeci à visão que veio do céu” (Atos 26.19). E não foram omissos na missão que fora apresentado a eles. “... Suporte o sofrimento, faça o trabalho de um pregador do evangelho e cumpra bem os seu dever de servo de Deus”. (2 Timóteo 4.5).  A Igreja de Filadélfia é esta que Deus quer! Mas, ela tem sido prejudicada por Sardes e Laodicéia. Muitos querem dinheiro (Teologia da Prosperidade ou até mesmo Teologia comum); vivem preocupados no seu bem estar, constrói mansões, aderem ao evangelho de muitas facilidades, cantam como para construir sua fortuna, vestem-se como os doutores da lei, pensam está fazendo a obra de Deus, mas estão lutando contra os poderes dos Céus. Os fortes buscam o isolamento porque não veem como pode viver num mundo cheio de pecados admitidos, e que não consegue refletir como um espelho a santidade de Deus, por está vendo de todos os lados corrupções, mentiras, calúnias, estratagemas malignas e luxurias. Os graves pecados das igrejas são: Como uma lesão no corpo de Cristo. Que Deus possa está mudando através do Espírito Santo cada um de nós, para que possamos ser à Igreja de Filadélfia. Amém! [G].