sábado, 6 de setembro de 2014

A Profecia Na Bíblia Sagrada


Do Começo ao Fim

Eu não sei se você já prestou atenção, mas a maioria do contexto bíblico está referindo-se a alguma profecia.

Desde o pecado de Adão e Eva houve uma profecia dada pelo próprio Deus, esta era que ele viver-se pouco, e a terra sofreriam as consequências do seu ato; e Eva, daria a luz sofrendo dores.

Era profecia em cima de profecia, quando Caim pecou, matando Abel, também ouve uma profecia, que era uma marca nele, para que ninguém o matar-se.

Porém, passados anos a profecia passou para as mãos de homens santos, aqueles que seriam porta vozes de Deus. Homens que muitas e muitas vezes, que mesmo no presente, podiam ver o futuro.

Eram neles, e não em outros que Deus encontrava sua vontade, pois eles permaneciam fieis a sua honestidade. Muitas nem sabiam que iriam serem chamados a fim de exercer uma voz de clamor.

A maioria até se perguntavam, por que eu Senhor? Alguns alegam não terem condições para desempenhar; outros desde infância já era moldado através do estudo das Escrituras Sagradas, para cumprir este dom.

Além de Deus chama-los, ainda pedia que escrever-se em pergaminhos, ou o que havia na época, afim de que outros lessem futuramente o que ocorrera no passado.

Era vontade de Deus que os homens voltar-se seus olhos no que havia acontecido no passado, para não errar no presente, e muitos menos no futuro.
A Bíblia é um livro futurístico, embora tendo histórias antigas, mas todo seu contexto revelava Jesus Cristo, quanto suas profecias.

Perceba que mesmo os escritores antigos que viveram no presente, escreveram os fatos que haveriam de acontecer no futuro.

“O rei Davi entrou na barraca, sentou-se e orou assim: - Ó Senhor, meu Deus, eu não mereço tudo o que fizeste por mim no passado, a minha família também não merece. E, como se as bênçãos do passado ainda fossem poucas, agora estás fazendo promessas a respeito dos meus descendentes no futuro. E deixaste um homem [profeta] ver isso, ó Senhor, meu Deus.” (2 Samuel 7.18 e 19).

Davi reconhecia que Deus poderia fazer o homem vê além das fronteiras, e saber o acontecido no futuro, por isso, agradece a Deus.

O plano de Deus estava de acordo ao presente, para dá luz aos homens quanta sua mensagem profética muito tempo depois.

Na perspectiva divina, uma profecia desempenha um papel importante na história, uma vez que essa completa os fatos empiricamente, e mostra que existe um Deus quando cumprida; visto o profeta dele anunciou.

“Assim temos mais confiança ainda na profecia anunciada pelos profetas. Vocês fazem bem em prestar atenção nessa mensagem. Pois ela é como uma luz que brilha em lugar escuro, até que o dia amanheça e a luz da estrela da manhã brilhe no coração de vocês.” (2 Pedro 1.19).

Quase ninguém consegue andar direito no escuro, pois anda cambaleando, levando tombos, batendo os membros, o corpo, e a cabeça; entretanto, quando no caminho a luz, essa iluminação faz que andemos seguros.

“Lâmpadas para os meus pés é a tua palavra, e luz para os meus caminhos.” (Salmos 119.115).

A Bíblia do Começo ao Fim

Ao contrário que muitos pensam ou imaginam, a história deste mundo teve um começo, e, portanto, terá um fim.

O Gênesis apresenta este início completo, onde o seu criador, aquele que criou o universo, as águas, a terra, os seres vivos, o homem, a mulher, ou seja, tudo foi feito por um Deus.

Ela não deixa passar nada, do que seja o mais relevante para nosso entendimento, e quanto à necessidade da certeza das coisas.
Portanto, a sua necessidade é, nos revelar a relação entre Deus e o homem, e quanto ele nos ama.

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu seu único Filho, para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3.16).

Mesmo amando-o, não deixou de destruir o mundo, com um dilúvio, pois os homens se faziam muito maus. (Gênesis 6).

Note que quando Eva e Adão pecaram, não deixaram de pagar o preço pelo seu erro, e este a morte. Embora, Deus tendo revelado a eles que um dia o segundo Adão haveria de retomar o mundo do pecado, isso não eliminou no presente deles, as suas mortes.

No diálogo de Deus e o homem, ele havia alertado: “Então, o Senhor Deus pôs o homem no jardim do Éden, para cuidar dele e nele fazer plantações. E o Senhor deu ao homem a seguinte ordem: - Você pode comer as frutas de qualquer árvore do jardim, menos da árvore que dá o conhecimento do bem e do mal. Não coma a fruta dessa árvore, pois, no dia em que você a comer, certamente morrerá.” (Gênesis 2.17).

Assim o homem fez, comeu do fruto proibido, e assim aconteceu a sua morte. Era uma profecia dita, condicional, mas eles preferiram desobedecer, e a profecia tornou-se cumprida.

Como nos dias de Noé, a profecia tornou incondicional, ou seja, haveria de ser cumprida mesmo, pois, os homens faziam-se maus.

Ali em Adão e Eva era o começo de um povo, que se estendeu em pecado chegando a Noé, que era um homem justo, e, portanto, não morreu no dilúvio.
O princípio agora já não há, viram-se somente águas e águas, e um barco cheio de animais, quanto uma família salva, para ressurgir um novo começo, e, por incrível que possa parecer, um novo fim.

E a profecia continua...

http://igrejaremanescente-igrejaremanescente.blogspot.com.br/ * Serão permitida reprodução total quanto parcial, onde poder ser incluídos textos, imagens e desenhos, para qualquer meio, para sistema gráficos, fotográficos, etc., sendo que, sua cópia não seja modificada nem tão pouca alterada sua forma de interpretação, dando fonte e autor do mesmo. P.Galhardo.