quarta-feira, 8 de julho de 2015

Existe algo além do nada parte 2





Deus diz: “filho, olhe para tudo isso e veja se há algo que te possa convencer!”.

Os evolucionistas querem supor através de fósseis que o acaso passou a existir, pois querem a todo custo alegar que diante das espécies encontradas e por estarem conservadas, elas são fruto das transformações através de anos, e que suas origens deram-se por minuciosa adaptação quando não era nada, e, então, houve seu aparecimento.

A ciência resolve à própria ciência, uma refuta a outra.
O que a ciência não pode fazer é querer refutar a existência daquilo que Deus criou, alguém pode achar que se pode refutar Deus?

Mesmo tentando usar argumentos físicos para tentar demonstrar que essas espécies ligaram-se entre si, ou não, e passaram a existir porque foi assim que se conduziu para chegar onde estão não haverá progresso visto ela mesma se contradiz quando mostra outros fatos encontrados para confirmar que existem diferenças entre um e outro.

Os evolucionistas querem entender do surgimento de tudo, mas não entende que aonde surge algo, não surge sem o dedo do criador.

As enormes mudanças, que acontece em todos os campos não foram deixadas sem antes terem sido planejadas.

Podemos entender o estado líquido para o gasoso, e que através desse fenômeno temos chuvas; contudo, como entender seu fluxo de subida? Pode-se alegar que seu peso é menor, mas quem determinou que se pesasse menos?

Outa coisa, as cores encontradas em tudo, não parecem que teríamos ai uma grande luta para compreendermos, como elas surgiram?

Pensaria os evolucionistas, mas as cores se entraram em sintonia quando algo passou a existir, e, portanto, elas também houve mudanças de pigmento entre si.

Entretanto, há algo mais profundo nisso, que cor surgiu primeiro para que pudessem outras diante da mesma, transformarem-se?

A razão não nos deixa dúvidas quando essa é tratada sem que entremos no campo da loucura, pois louco seria não pensar nos termos mais profundos.

Vede que olhamos para os olhos e entendemos a cor do transparente, se é que possamos chama-la de cor.

Compreendemos isso porque vemos que ela está nos olhos, porém como a transparência chegou lá, uma vez que se as cores transformaram-se entre si, e esteve-se em mudanças através dos supostos milhões de anos?

Os evolucionistas poderiam pensar: o transparente não chegou a tal transformação porque simplesmente nem tudo foi transformado.

Contudo, vede o transparente passou a existir onde não havia.

Vede que o passar a existir não é mera evolução!

Vede que mesmo na natureza ela possui sua força para que cresça e se desenvolva, então, de onde vem essa força? Uma semente cresce até chegar a ser uma arvore perfeita, e mais, nela cresce também flores e frutos, quem lhe deu tal força para que possa se desenvolver?

Como existiu o doce ou azedo nas frutas? Dirá os evolucionistas – mero acaso!

Eu te digo: não, não é mero acaso, pois uma força é que lhes faz fazer coisas inexplicáveis. 

Vede que se buscais a verdade, a verdade poderá ser encontrada; mas se não, ela mesma assim aparecerá.

É mister que na natureza esteja sua divisão tendo entre si. Por mais que queiramos comparar uma com a outra, não encontramos algo igual na sua perfeição absoluta.

Tudo foi feito e planejado para que as espécies tivessem suas diferenças.

Mesmo quando gêmeos, há algo que mostre uma mudança do outro.

Embora vejamos igualdade nas sementes, isso existe, e foi feito para pudéssemos saber que tudo permanece com o passar dos anos no mesmo estado.

As sementes estão no seu inerente para produzir seu fruto com um fim em si, alimentar os seres vivos – homens e animais.

Vede o laboratório concreto na própria natureza demonstrando suas ações.

Vede seu silencio e o barulho quando crescem, sem ouvirmos, e o balançar dos sons das arvores.

Vede que tudo isso não pode está onde estão simplesmente porque veio do nada, e que a matéria passou a existir, sem nenhum tipo de força que pudesse regelas. 

No fundo sabemos que os evolucionistas estão errados porque seus corações não atendem o que os seus olhos estão vendo.

O homem ao morrer é enterrado e lá na terra se dissolvem e desaparecem, mas não surge outra criatura para que renasça.

Compreendemos disso, e isso é fato comprovado que uma vez morto, jaz se acaba.

Mas quando uma semente morre, renasce para dá vida.
Vede que sua função não é ter vida somente para si, mas que possa dá vida aos outros, quando cresce e dela tira-se o alimento.

Agora sim, podemos ver a semente que não era nada, transformar-se e ressurgir brilhosa através do seu ser.

Vede que no fundo no fundo, os evolucionistas não querem admitir que aonde houvesse gênesis (começo), esse não veio por acaso.

Quando hoje vemos o homem nascer sabemos que dois corpos que se uniram para que sexualmente pudessem dá vida ao feto, mas quem deu tamanho poder para que tivessem dentro dos mesmos, sêmens? 

Vede que o espermatozoide se junta com o óvulo dai surge um ser humano, porém ainda não transformados completamente, passa-se em média nove meses para chegarem a sua maturação.

Contudo, podes atestar como é feito esse processo do mais concreto, como surgiu tamanha força intrínseca neles?

Como a vida pode surgir sem força? Vede que as forças se renovam a cada manhã.

No começo (no gênesis), havia somente um povo e de uma única língua (Gênesis 11.1), porém, por causa da arrogância do homem, Deus mudou tudo e assim foram para outras terras e lá, passaram sua existência. 


Isso fez com que os homens se transformassem, pois onde há calor, sol e aridez a pigmentação mudar e escure-se. 

Entretanto, seu paradoxo, num clima frio, a pele clareia. Diante disso, mudanças aconteceram!

Agora imagine duas raças distintas fecundando-se entre si e trazendo ao mundo uma nova raça?

Vede que uma raça de pigmentação escura e com outra de pigmentação clara, unisse para suscitar uma cor diferente, nem muito negra e nem muito branca – tá ai o moreno.

Conhecemos muito bem as raças fundidas ao passar dos anos, mas muitas vezes não percebemos seu inicio.

Também temos que entender que supondo o que já apresentado, Deus é onisciente (aquele que conhece e sabe tudo), trouxe ao mundo distinção.

Vede tal atestado nas coisas existentes, todos os quais, suas diversas diferenças.

No fundo, tudo permanece desde começo para compreendermos que não há mais transformações no homem para que não possa andar errantes.

Vede que há como fazer isso através da ciência, mas quanto ser de forma natural, não.

Se tratando de pesquisas, os cientistas evolucionistas podem fazer com que homens sejam transformados, mas é ver que isso não acontece de forma natural, mas artificial.

Precisam fazer experimentos a fim de chegar aos resultados!

Quem em sã consciência iria trazer algo novo sem primeiro experimentar?

Vede que o esperma existe, mas quem o criou? Não parece que no homem, esse, foi-lhe dado como força para fazer-lhe continuar sua existência? 

Vede que ele continua vindo de algo e não simplesmente do nada.

Ademais, onde está o nada aqui? Ora, se para nascer um novo homem o esperma faz-se necessário, então derruba a tese que do nada passa algo há existir.

Vede que não estamos afirmando que Deus não é nada, pois ele mesmo é que fez do nada sua existência. 

No seu cerne o nada faz presente porque é ele mesmo é o nada e tudo. 

Portanto, se algo existe, é porque sua existência não veio do nada, mas do tudo. [G].

Continua...









 http://igrejaremanescente-igrejaremanescente.blogspot.com.br/* Serão permitida reprodução total quanto parcial, onde poder ser incluídos textos, imagens e desenhos, para qualquer meio, para sistema gráficos, fotográficos, etc., sendo que, sua cópia não seja modificada nem tão pouca alterada sua forma de interpretação, dando fonte e autor do mesmo. P.Galhardo.