quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Radares de Satélite Envisat Pode Antecipar Visão de Erupções Vulcânicas e Terremotos


O Rift do Leste Africano é uma área onde duas placas tectônicas estão se movendo para além, tornando-se uma região de alta atividade geológica, que abriga uma série de vulcões.
Esta animação mostra como os radares de satélite - como o que voou sobre Envisat - pode detectar deslocamentos de superfície com precisão centimétrica de uma altitude de cerca de 800 km.
Interferometric Synthetic Aperture Radar - ou InSAR - é uma técnica de detecção remota, onde duas ou mais imagens de radar sobre a mesma área são combinados para detectar pequenas alterações de superfície entre eles.
Pequenas mudanças no solo causa alterações no sinal de radar e levar a padrões de interferência do arco-íris de cores na imagem combinada, conhecida como a 'SAR interferogram'. Estes interferogramas pode, então, mostrar como a terra é edificante ou diminuindo.
Por exemplo, Envisat descobriram que o dormente Mount Longonot no Quênia subiu nove centímetros 2004-2006. Atividade tectônica, como o movimento do magma no subsolo pode ter causado esta deformação da superfície acima.
Radares também podem identificar falhas - como o radar do satélite japonês ALOS. Deslocamento do solo após uma série de terremotos em torno Karonga, Malawi, foi detectado no interferograma, revelando detalhes de uma linha de falha. As visualizações são baseadas em resultados de Julieta Biggs da Universidade de Bristol, no Reino Unido.
Medidas como as que vimos nesta animação estão ajudando os cientistas a entender as placas tectônicas. Eles fornecem insights sobre os padrões e as consequências da atividade que podem ajudar a obter uma imagem mais clara do comportamento de um vulcão.
Créditos: Planetary Visions / NERC-COMET / JAXA / ESA