sexta-feira, 6 de setembro de 2013

O MOVIMENTO ECUMÊNICO


   Presenciamos os sinais do fim e as poderosas atuações do movimento que atua através do espiritismo, tanto é que poderá até fazer cair fogo do céu, tantos aqueles que não acreditam como os ateus ficarão perplexos. Os comunistas como os anarquistas serão influenciados por todo esse movimento de sinais atuantes que os levarão a acreditar no poder papal.

   Esses eventos sobrenaturais farão que o espiritismo seja o grande mediador de união entre católicos, protestantes e ateus. Não demorará muito para que isso possa acontecer. Pois, os movimentos estão se desenvolvendo e o ecumenismo é o grande meio para isso.

   “A linha de separação entre os que professam ser cristãos e os ímpios é atualmente apenas perceptível. Os membros das igrejas amam o que o mundo também ama e estão prontos a unir-se com eles; Satanás regozija-se em uni-los em um só corpo e deste modo robustecer a sua causa, atraindo-os a todos para as fileiras do espiritismo. Os papistas que se vangloriam de seus milagres como sinal certo de que a sua igreja seja a verdadeira, serão facilmente enganados por este poder maravilhoso, e os protestantes que lançaram longe de si o escudo da verdade, serão igualmente seduzidos. Os papistas, os protestantes e os mundanos aceitarão igualmente a forma da piedade sem o poder da mesma, e verão nesta união um grande movimento para a conversão do mundo e o começo do milênio por tanto tempo esperado.” O G. Conflito pág. 646.

   O Apóstolo João viu numa das suas visões um grande poder que se levantaria e faria todos adorarem, ao poder religioso através de um sinal imposto sobre aqueles que o recebe. Uma marca que os identificarão como unidos para que possam comprar e vender. (Apocalipse 13.11-18).

   Será formado um edito para que promulgue um decreto em observância da guarda de um dia, onde aqueles que desobedecerem serão perseguidos e mortos. A história se repete! Toda essa norma de lei fará com que os protestantes junto com a igreja católica por indução do espiritismo, se unam através do ecumenismo, a fim de decidir as formas de viver no mundo.

   Por detrás desse movimento ecumênico, está Satanás atuando imperceptivelmente sem eles perceberem sua atuação. A lei de Deus estabeleceu um sinal no Seu povo como identificação. Leia-se: “Santificai os meus sábados, pois servirão de sinal entre mim e vós, para que saibais que Eu Sou o Senhor, vosso Deus.” (Ezequiel 20.20). O sinal fora dado por Deus a todo Israel tanto literal como espiritual, porém, sobre marco da lei falsificada o ecumenismo usará um dia dedicado ao culto pagão para que todos possam adorá-lo e guarda-lo, esse dirá será domingo. No comando está o poder papal com mãe e suas filhas (igrejas protestantes), seguindo-a.

   Todas as suas forças estão direcionadas neste sinal como poder e autoridade suprema, onde mesmo eles declaram isso. Veja:

   1º) “Assim também menciona (a igreja romana) que o sábado foi transferido para o domingo de encontro aos dez mandamentos, conforme eles entendem; e não há exemplo que eles põem mais em relevo como a mudança do sábado, querendo comprovar com isto a grande autoridade da igreja; pois modificaram os dez mandamentos e alterou-os.” (Confissão de Augsburg, artigo 28).

  2º) “... E, sem dúvida, pela observância do domingo reconhece (nota: a igreja protestante) a potestade da igreja católica. A Bíblia diz: Lembra-te do dia de sábado para santificá-lo, porém a igreja católica diz: Não, tu tens de santificar o primeiro dia da semana, e todo mundo rende-lhe obediência.” (Sacerdote Enright).

   Pois bem, vimos ai à pura declaração da própria igreja mãe, alegando a mudança do sinal (dia do sábado), para outro sinal (dia do domingo), que não tinha sido estabelecido por Deus.

   Nos dias da história deste mundo temos que usarmos a matemática como tendo como ciência, que é empregada com grande êxito no campo da vida. Porém não podemos deixar de dizer que no campo transcendental ela aparentemente não pode revelar os mistérios existentes, por serem impossíveis cálculos se tratando de eventos salvídicos.

   A Bíblia trabalha com números, e apresenta o número daquele que viria falsificar o verdadeiro dia de adoração. O número deste é 666: “Aqui está a sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, pois é número de homem. Ora, esse número é seiscentos e sessenta e seis.” (Apocalipse 13.18).

   Perceba nesta declaração de Apocalipse quem for sábio, ou seja, racional que saiba usar a mente, descobrirá sem nenhuma dúvida o homem que se identifica com esse número 666, que é o autor da mudança do dia de descanso e além do mais, tem autoridade sobre todos no mundo.

   Vejamos as provas contundentes na matemática deste homem que falsificou o dia exigido por Deus para santificar. Para tanto temos que usarmos os próprios nomes latinos como soma para que possamos chegar há um denominador comum: I = 1; V ou U = 5; X = 10; L = 50; C = 100; D = 500; M = 1000: Muita das letras no nome não tem valor número, por isso, descartamo-las: VICARIUS FILLI DEI = 1+5+10+50+100+500+1000 = 666. Outro nome importante que presenciamos é: LATINVS REX SACERDOS = L = 50; A = -; T = -; I = 1; = N = -; V = 5; S = -; R = -; E = -; X = 10; S = -; A = -; C = 100; E = -; R = -; D = 500; O = -; S = -; 50+1+5+10+100+500 = 666.




   Esses são os títulos que os Papas assumiram como sendo os representantes de Deus na terra. Veja: o primeiro suposto título significa: “representante do Filho de Deus.” O segundo suposto título representa a organização dos papas: “rei latino dos sacerdotes”. Vemos ai uma suposta autoridade donde não fora permitido por Deus e uma ousadia arrogante em ser o próprio filho de Deus na terra.

   A palavra grega “Teitan” que significa sol, está identificando o suposto representante de Deus (Papa) na terra com um número. Mesmos sabendo que esses supostos sacerdotes mudaram o verdadeiro sinal de Deus na terra entre Ele e os homens, todavia desejamos apresentar provas e para tanto aderir letras ao número 666 ao domingo como dia do sol. TEITAN = T = 300; E = 5; I = 10; T = 300; A = 1; N = 50 = 666.

   Vemos que o domingo se identifica com o sol pela sua própria palavra no inglês Sunday= dia do sol; e os pagãos adoravam este dia em homenagem ao deus sol. Os próprios romanos cultuavam a veneração ao deus sol e o domingo era o dia apropriado para isso, além dos seus amuletos que os cunhava com o sol. Neste eram encontrados várias inscrições mágicas, cifras de números onde também presenciamos o 666. Em Viena na coleção de medalhas exibem-se tais amuletos do sol. E nas suas bordas uma combinação numérica com o dia de domingo, que arrumado leva a uma soma no vertical e horizontal do número 666.



   A pergunta é: pode ser tão bem representado a profecia na realidade destes amuletos cumprida? No número 666 a marca da besta, é uma realidade vista nos detalhes onde ninguém pode negar os fatos apresentado há olhos vistos.

   A marca da besta ecumênica é uma aceitação geral de todos, tanto ricos com pobres, que se inclinarão há uma falsa adoração de um dia imposto como dia de reverência. Onde se curvaram a uma convicção aceita pela mente e através das mãos trabalharam em prol da mesma.

   Por medo e por uma suposta vergonha da exposição, que poderão enfrentar, aceitarão os desígnios malignos; onde haverá sinais, prodígios e curas que lhes inspiraram em adoração as trevas.

   Não é de se estranhar a vergonha pecadora que vivemos hoje em dia por consequência o Espírito Santo está retirando-se da terra. As obras perversas refuta a amizade que Deus poderia está relacionando-se com o homem; haja vista, sendo santo, não tem como levantar o véu para que este possa entrar no lugar santíssimo. O desejo reinante para o pecado na humanidade demonstra inimizade para com Deus. Por ser justo e inerente sua santificação, não pode passar por cima da sua justiça, porque conhece a si como o espírito do homem conhece-o também. Ele vê a promiscuidade e perversão da imoralidade humana, e perscruta os corações e as mentes. Anjos relatores não deixam passar nada sobre palavras, obras boas ou más. Escreve nos seus blocos e registra-os nos livros dos céus cada atitude das ações.

   “Mas Eu vos digo que de toda a palavra ociosa (frívola) que os homens disserem hão de dar conta no dia do juízo. Porque por tuas palavras serás justificado, e por tuas palavras serás condenado.” (Mateus 12.36 e 37). Seria bom notar o contexto que Jesus Cristo, estava repreendendo a classe social rica e estudada farisaica, porque eles estavam condenando-O por haver feito muitos milagres e eles tinham-no como perigoso em relação à política romana. Embora possamos presenciar as expulsões demoníacas que acontecia quando Jesus chegava às pessoas, eles tinham maior medo de perder o poder adquirido resultante de normas e tradições humanas. Coisa vista nos dias atuais!

Conclusão: Estamos todos submetidos a passarmos pela balança de Deus, onde Ele mesmo é o juiz e pesado seu julgamento, não porque seja mal, é por saber fazer uma justiça justa mediante sua lei que transmite às normas morais com as quais o homem está limitado perante todo o mundo. Limite este que não ofende por se tratar de uma conduta perfeita para que o homem possa agir de maneira fiel e agradável quanto aos seus semelhantes. Ou seja, amor ao próximo. Toda palavra, todos os pensamentos, todos os motivos e ações, estão sujeito aos dez mandamentos. Ditas: Leis morais: “De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda seus mandamentos; porque isto é dever de todo homem. Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam boas, quer sejam más.” (Eclesiastes 12.13 e 14).



   Por fim, mesmo os homens, induzidos por clérigos eclesiásticos ou até mesmo por erros doutrinários existente em quase todas as religiões apóstatas, seitas e filosofias ocultas, isto não interfere no julgamento do Eterno, por ser perfeito e ter constituída uma lei que Ele mesmo rege e segue intrínseca para fazer sua justiça. [G].