sexta-feira, 25 de outubro de 2013

A Psicologia da Livre-Expansão dos Desejos Sexuais


   O homem é ansioso por natureza e por vezes essa ansiedade é profunda e oculta, E às vezes leva-o ao sofrimento. A psicologia tenta trazer a tona para que não se incutam no subconsciente e possa originar um caráter complicado e também quando trazida a luz, podem conter-se ou mesmo domadas.

   Disse Tomás de Aquino: “Qualquer ideia que seja nociva ao espírito causa prejuízo na justa proporção em que é recalcada. A razão é esta: o espírito está mais atento a uma ideia recalcada do que se a tivesse trazido à superfície e permitido sua libertação.”.

Teólogo Tomás de Aquino

   Portanto, tá com problemas ocultos, só serve para trazer efeito nocivo ao homem. Geralmente os problemas dos pecados acariciados e das preocupações no geral são perigosos. Porque consiste em negado a tranquilidade e a felicidade. Em contrário alguns muitos dos filósofos alegaram que o homem negado o há as paixões quanto os instintos, os possibilitam uma culpa pessoal. E que os instintos animalescos poderiam expandir-se a fim de não trazer ao homem um senso de recalque ou culpa.

   A própria psicologia tratava quanto à moralidade, assim dizia: “Exprima-se. A religião e a moralidade estão destruindo a sua personalidade.” Podemos perceber com nitidez que nessa instrução orientada por alguns psicólogos retrata que, a ressalva, domínio e disciplina podem causar uma má formação do caráter. Mas essa filosofia não progride entre a razão e os fatos.

   Por que um homem que tem melhor vida sadia sobre o domínio dos instintos sexuais e assim tenha um casamento perfeito cristão, não teria melhor vida dentro da liberdade aos outros instintos, tal exemplo o de caçador? Por que assim como deverem-se como alguns afirmam liberdade sexualmente, não poderia ele também exercer liberdade animalesca de ser um homicida? Se considerarmos que os instintos possam ser libertos por uma suposta livre-expansão, o medo que o trás como afirmam alguns por repressão de não praticar o que quer, também poderia este exercer a mesma vontade. Se o instinto sexual não pode ser aprisionado a nossa vontade, o mesmo faz-se ao instinto de homicida - Seria um absurdo essa admissão!

   Se deixarmos um ladrão entrar no nosso comércio e assim proceder em roubar, estaria às leis civis moralmente erradas por aprisiona-lo ou prendê-lo, porque seria um tabu moral exercer tal prisão, visto está destruindo sua vontade e sua personalidade, em meio à luz dos supostos iluminados da conjeturada psicologia moderna? Se for normal exercer todas as vontades sexuais e parcerias distintas ao bel prazer, seria normal exercer as vontades do instinto de caçador e sairíamos matando por todos os cantos ao bel prazer.

   Por que não condenar um atleta de está moralmente errado por exercer uma disciplina rígida quanto sua forma ao corpo e a alimentação, visto ser ele religioso moralmente, porque segue uma regra que a religião há anos já trata do assunto sobre comer e ter uma vida saudável praticando esportes? Por que não poderiam dizer que a saída dele para os problemas psicológicos poderiam ser curados com a fisiologia cultuada? Isto é tão absurdo que é o mesmo que dizer que se irão resolver os problemas da mente, tirando a urina da bexiga para melhor circulação mental. O estado físico, mental e espiritual não nos está no mesmo nível.


   Pediríamos ao um homem pegar um rifle e sair matando todo mundo que seria curado do seu estado mental; e ao outro que se jogue de uma ponte e assim trataria do problema e chegaria à cura. Isso não seria lógico porque o remédio não seria ai fazer seus próprios desejos.  Ao que se refere libertarem-se os instintos sexuais, e ter uma liberdade com livre-expansão me parece ser, levando em conta os resultados expostos serem os mais anormais, por ser sua satisfação exercida em livre escolha e dá forma que bem lhe entende. Posso afirmar são estes os mais infelizes. Por sua vontade exercida não ser direcionada no restrito da moral e dos costumes normais. Não achamos um absurdo que um ser humano se alimente de carne humana? Imagine que seus desejos só sejam satisfeitos em considerar que a carne humana seria melhor para sua necessidade física. Não seria um cúmulo tal admissão nossa? Mas muitos ainda acham que o sistema religioso trás recalque e tabus que tira do homem suas vontades de supostos elevados anseios sexuais. Por que hoje nos dias atuais, com relação aos casos de pedofilias e estupro estão tão em evidência, e que Roma foi tratada como carnificina por ter matado tantos cristãos e ser até hoje lembrada como a idade perversa e maldosa?
coliseu romano sacrificando cristãos

   Muitas vezes escutamos nos países comunistas e até aqui que, a democracia está errada porque reprime as ideias dos instintos revolucionários dos indivíduos, mas não seria uma repressão aos instintos de livres desejos dos democráticos? Tudo que reprime se levarmos em conta, reprime também outro. Uma repressão após outra. Portanto, a suposta teoria da liberdade de instinto sexual ao bel prazer é falsa, e não pode ser admitida em hipótese nenhuma. Pois, se fomos aceitar tudo, e essa regra, tudo da vontade segue por princípio deveria ser aceito. Entretanto como sabemos e aceitamos isso jamais poderia acontecer.

   A psicologia moderna do bel prazer-sexual-individual, segue falsa teoria de ideia por não supostamente alguns não conhecer a natureza real do ser humano. Uma coisa é dizer saber e ter conhecimento na área humana e religiosa e outra coisa é conhecer mesmo. Uma vez apresentado todos os fatos evidenciados neste artigo, prova a falta de conhecimento de alguns psicólogos quanto o completo ser humano. O homem quando é levado aos instintos sexuais animalescos não raciocina. Porém, quando levado ao pleno conhecimento da vontade de Deus que lhe deu, segue princípios morais. Quando homem (sentido genérico) deixa levar-se por seus instintos contraria sua própria natureza, lhe causam profunda angústia e decepção quanto anomalias mentais no seu subconsciente. Para não dizer um grande remorso de ter feito o que seu íntimo interior perfeitamente não admite. Disse certa vez um Teólogo: “Nossos instintos (desejos), são na maioria das vezes errados, mas aceitamos fazê-los se quisermos.” Parafraseando-O. (Alessandro Bullon Palestra sobre o pecado admitido num congresso em São Paulo). “Porque do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as fornicações, os homicídios.” (Marcos 7:21).

    Numa indústria geralmente para derreter e formar alguma forma no ferro ou outros matérias são usados às caldeiras, e elas seguem com uma determinada pressão de calor para que suporte o efeito causado pela pressão do calor, porém, caso ultrapasse essa pressão estoura e se autodestrói – assim é a vida do pecado sexual-admitido- acariciado ao bel prazer da vontade exercida no ser humano, uma vez aceita, estoura e se autodestrói.  Disse certa vez o Dr.C.E.M. Joad que a teoria da livre-expansão, ser ridícula e que ninguém possa aceita-la como tal é:

“O que acreditamos é que algumas formas de livre expansão são boas, outras não; que a expansão de si mesmo em simpatia é boa; em inveja, má; em bondade, boa; em crueldade, má; em prestimosidade e auxílio, boa; em malícia e engrandecimento próprio, má. Contudo – e isto também sabemos – quanto mais expansão se dá aquilo que é mau, pior ele se torna. Por exemplo: se quando sóbrio sou de bom gênio e bondoso, mas sou também um dipsomaníaco congênito, com tendência a bater na mulher quando embriagado, é claro que quanto mais me expandir nos termos dos meus característicos de sobriedade, bondade e bom gênio, e menos me expandir nos termos dos meus característicos congênitos é briosos de raiva e de violência, melhor.” (Decadense, p. 213, Faber & Faber Ltd. Londres).

Conclusão

   Assim sendo, a liberdade quanto mais propiciada for composta dos instintos animalescos sexuais, mais desespero e intranquilidade terá o sujeito. A liberdade torna serva do pecado quando o sujeito se submete aos instintos. A Palavra de Deus assim expõe: “Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não useis então da liberdade para dar ocasião à carne... [prazeres]. (Gálatas 5:13). Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado. (João 8:34). Portanto, expandir-se nos desejos sexuais livre e com quem quiser, trava-se na verdade de que o sujeito ao viver na luxúria animalesca do sexo, terá quando velho não consolidar seu caminho no conforto do descanso.

   Que Deus possa nos iluminar para que possamos saber aceitar que o livre arbítrio, exige de nós perfeita harmonia moral, quanto restrição aos nossos desejos sexuais. [Galhardo].