sexta-feira, 22 de novembro de 2013

A Alma que não conhece sua liberdade


O homem moderno atual necessita de liberdade e exigem isso, mas esquecem de que muitas vezes a liberdade exercida sem postura moral, trás graves problemas.

Entregar-se num profundo absoluto de imoralidade, causa uma mudança na sociedade porque ela começa a perceber que algo não vai bem; visto não conhecer o que pode causar na sua família tal promiscuidade; e ai rejeita por completo.

Quando não conhecemos o caminho porque está escuro, e onde possa levar-nos, muitas vezes não ultrapassamos por medo do monstro que pode haver lá.

Ninguém quer encontrar um crocodilo que possa comê-lo; será melhor desviar-se antes de ser mordido ou até mesmo morto.

Porém, exigem liberdade porque não conseguem perceber que essa possa leva-los para o abismo, visto que numa sociedade terá sempre quem não aceite por completo as posturas pervertidas de alguns.

O exagero libertino tem consequências, porque a liberdade também exige autoridade, e esta não se faz sem lei. E quando essa é estabelecida, pode ser do jeito que não se queira; mas por causa da liberdade que quer tornar-se tão pervertida, muitos que não gostariam ser submissos, termina aceitando, e a falta de liberdade para proteger a sociedade.

Ai nossa liberdade que tanto nós exigimos, por causa da promiscuidade e perversão, acaba não tendo. E entra o autoritarismo visto que a democracia não conseguiu dá um jeito no caminho hostil que alguns querem andar.

Quando amamos uma mulher nos entregamos totalmente a ela, porque a conhecemos e sabemos que nos quer bem, e até dizemos: “Eu sou teu”, e a entrega tornasse por completa em submissão, pois confiamos e sabemos que estamos seguros. Contudo, se ela começar, trair e descobrirmos, nossa vontade é de prendê-la e até expulsá-la da nossa vida.

Assim é a preciosa alma que tem liberdade, uma vez podendo quase tudo, senti-se livre para ir onde quer e supostamente fazer o que quer, mas quando ultrapassa os valores morais dos outros, como uma relação entre homem e mulher, correm eles grande perigos porque a liberdade já não passa ser vista como algo ideal para se ter.

Já pensou se sua liberdade acabasse por completo de uma hora para outra, e nós fossemos perseguidos porque não estamos seguindo os padrões sociais morais ? Pense nisso!

Toda liberdade exige alegria por ser livre; porém a liberdade acumulada ao bel prazer tornasse de pequeno valor, porque aperfeiçoamo-la em benefício nosso e não para os outros.

A cultura da liberdade é convencida e admite que precisassem tê-la por completo, embora não possa ver o precioso caminho em está com ela ao lado. Inventam coisas, a fim de ter um relacionamento ao abandono do natural para o incomum, assim começam as desventuras da realidade que não entendem.

Não diga que não avisamos, não pensem que não queríamos tê-la, contudo, nós a perdemos porque não aceitamos o abandono de nossas vontades feitas muitas vezes nos nossos desejos imorais.

A verdadeira liberdade da alma aperfeiçoa o individuo e não o faz dele preso em promiscuidade e abandono do que é natural e perfeito, para o improvável e inconstante benefício próprio.

É como uma relação de pai para filho que permanece por toda vida, e quase sempre não vemos uma inconstância na sua relação, mas constante amor duradouro.

“– Quando um homem forte e bem armado guarda a sua própria casa, tudo o que ele tem está seguro.” (Lucas 11.21). E ele toma cuidado para que não venha um assaltante ou um ladrão, que invista sobre ele.

Assim é o precavido e aqueles que ouvem a mensagem, que uma vez liberdade ao bel prazer causa confusão, e o natural é rejeitá-la. Cuide da sua alma que está na liberdade antes que seja aprisionada pela força.

Nenhum ser humano construiria sua casa numa areia movediça, porque sabe que nem conseguira fazê-la ficar em pé.  À vontade aos prazeres do nosso eu, pode afundar quando reconhecemos que nossa vontade nunca será uma realidade, mesmo que queiramos e possamos agir para conseguir, mas a realidade do casal está primordial no absoluto entre homem e mulher.

Uma coisa é dizer ser casal e outra coisa é ser mesmo. Por que esses que lutam tanto pela liberdade não pensam como fazê-la continuar sendo o natural das coisas? A vontade não supera a realidade, porque a vontade está presa ao objetivo real do necessário para se obter a continuidade da existência humana, faz-se entre homem e mulher.

Em vez de lutar, viva em paz quando se pode ter paz; viva na vontade de Deus, porque a verdadeira paz está cheia em buscar o viver moralmente para se viver melhor.

Diz um ditado antigo: “quem avisa amigo é”, sua grande força hoje, amanhã pode ser sua grande decepção. Numa guerra há sempre uma estratégia para vencê-la. Alguns animais parecem imóveis ante sua presa, mas só incomodá-los ou até mesmo quando se vise em perigo, toma providencias para não serem feridos.

Pois é assim que alguns se comportam, parecem inertes aos resultados libertinos com a liberdade que lhes foram apresentados, e eles passam a observar e muitas vezes até concordam com os supostos idealistas liberais, porém, quando ver que isto causará um dano a sua família muda de lado e agem muito mais fortes e violentos a fim de aniquilar seu oponente.

Por isso, o conselho é, busque a liberdade de maneira saudável sem tentar prejudicar ou mudar o correto e certo para o incorreto e incerto, porque quem tanto procura termina achando. Toda a energia naquilo que parece supostamente correto, pode tornar-se seu conflito perpetuo.

Pense, reflita, não se submeta as vontades daqueles que não enxergam um passo a frente. Os seus temores, suas angustias e suas necessidades, podem ser libertadas desde que, queira que seja.

Quando se convence de algo se luta racionalmente com o que acredita, lute com intuito de ser recuperado, e principalmente espiritual. Pois, a beleza se acaba, quanto à formosura se desfaz com o tempo. Sua única esperança está numa renovação de vida embora sempre possa lamentar-se como disse santo Agostinho: “Demasiado tarde, ó beleza antiga, eu te amei.” Mas, a graça de Deus pode te fazer bonito (a) para sempre.

A vitória não está em ser o melhor ou até mesmo o mais bem sucedido; não, a vitória certa é para aqueles que reconhecem e aceita a graça que foi imposta pelo seu Mestre, Jesus.

É uma vitória em não querer enxergar o que o mundo oferece, é não aceitar as normas anormais, é não ajustar-se nos padrões do mundanismo e não querer submeter-se aos tesouros temporais.

Não é porque nós temos uma tendência para o mal que vamos cometer este. Não, é submeterem-se todos os dias a dizer: eu não quero fazer isso, porque isso não soma em nada na minha vida.

Nos negócios, nos deveres domésticos, em casa, no trabalho, na família, nas nossas ações que temos, devemos levar nossos pensamentos à vista de um Deus que nos observa, e pensarmos: não vou fazer o errado para agradar a mim ou há quem quer que seja.


Conclusão

- A Alma está com a liberdade que quis, mas essa pode ser prejudicada quando despertada nos outros que a liberdade exercida ao bel prazer causa-lhes prejuízos.


A reação dos que se sente prejudicados são uma força que ninguém consegue dominar; pois, o racional muda para o emocional e faz que seu raciocínio se perca por se sentir lesado.

- Muitas vezes presenciamos pessoas calmas explodirem. Uma dinamite ela só explode quando acendido o pavio. Assim são aqueles que estão inertes aos acontecimentos, uma vez acesos o fogo da explosão, contra ataca.


- Não deixe caro amigo, suas supostas necessidades que às vezes não são tão necessárias, tomar-lhes sua paz. Transforme-se com ajuda do Espírito Santo que nós podemos tê-lo quando oramos e pedimo-Lo que habite em nossa vida.

Ao invés de querer uma liberdade que já há tem, por que não lutar para ser ter uma vida tranquila e honesta com relação à natureza que segue mesmo normal no campo animal?

Conta-se uma história que um escorpião queria atravessar um rio, e garantiu ao seu amigo sapo que não lhe iria picar, porém, quando posto em cima do sapo, a fim de não afogar-se e atravessar o rio, o escorpião no meio do percurso, picou-lhe. O sapo lhe disse: “Você não havia me prometido que não faria isso?”, o escorpião em resposta disse: “eu não tenho como mudar minha natureza”. Certo que é verdade esta alegoria, contudo, nossa natureza pode ser contida, ou seja, refreada as nossas vontades animalescas.  E principalmente quando rejeitadas e juntadas ao divino, Ele nos fornece forças e sublimes energias para suportar os desejos.

Uma vez, as necessidades carnais, subjugadas ao domínio mental, não nos sentiremos culpados ou angustiados quando nos escondemos dos outros. Sabemos e conhecemos que muitas coisas acontecem quando estamos sozinhos e no escuro dos nossos quartos.

Não receba o mundo como todos os recebem, porque não somos desse mundo e aquele que faz parte deste, já está julgado e condenado que é o Diabo.

Ouça a promessa: “Mas porque vós não sois deste mundo, antes eu vos escolhi do meio do mundo, por isso o mundo vos aborrece.” (João 15.19).

Se você é do mundo, não se aborrece; porém, se não é do mundo o aborrecimento é constante. Não se sinta a vontade com o mundo, pois a Bíblia diz que, o mundo jáz do maligno. E como sei que nós não queremos ser dele, façamos o concerto em consertar a nossa alma que está em liberdade para uma alma liberta dos prazeres mundanos. [Galhardo].