domingo, 8 de dezembro de 2013

A Falsa Evolução


                
Qual a necessidade do homem ter existência vindo dum animal visto outros animais não evoluíram e não também modificaram-se em outros seres humanos? O homem passou a existir de um animal só, ou houve vários animais? Se o macaco é o único animal que evoluiu para se formar o homem, por que este parou de evoluir, e por que os outros animais não evoluíram e se transformaram em outros seres humanos?

Se a bactéria se desenvolveu numa espécie de animal e veio de areias cósmicas, ou até mesmo do inanimado, por que hoje não há esse desenvolvimento?

Deus criou o homem a fim de prova-lo, e ganha-lo como um troféu quando mostrou que ele tem livre arbítrio.

Este foi o grande propósito da sua criação. Havia discórdia no céu e se os seres criados tinha liberdade.

Assim com a criação do homem, Deus conseguiu provar que ele tem liberdade de escolha.

Mas, também tem preocupação com sua criação e quanto admiração.

O homem faz parte da natureza no contexto da criação, mas nunca num contexto evolutivo.

Deus é um ser existente que não se possa ser explicado, como o ar que respiramos e não podemos explica-lo na sua essência.

Recebemos o ar para podermos ter vida e esta para existência nossa; assim é Deus, entra em cada ser individualmente para que o homem possa existir.

Não se pode pesquisar o amago de Deus, porque sua natureza incomunicável é intrínseca, e nós não há possuímos.

Podemos sugestionar como Ele seja, mas, jamais com toda certeza a sua natureza por completa.

Mesmo que Deus não houvesse criado o homem, Ele permaneceria Deus, e sua existência permaneceria para sempre, por Si auto existir.  

Suas obras podem ser vista na natureza e parte da sua forma pode ser percebida também pela mesma.

Se pensarmos na existência da vida, ficaremos por completo convencidos mesmo quando não queremos, donde surgiu tal vida?

Qual seu objetivo e qual sua função? Haveria necessidade de surgir uma criatura que pensasse para que?

O que é evolução se não uma falácia? Não se tem uma necessidade dessa forma de existir, e a vida na sua profundeza não tem sentido do ponto de vista para que sirva.

Quando Deus criara o homem, criou com um desígnio mais que certo: formou o homem no desenvolvimento do conhecimento pleno, quanto estabelecer uma amizade eterna, embora, sabendo que este haveria de mudar este caminho.

Porém, traçado também no seu bojo sua livre vontade. Não criou uma máquina, nem um robô, fez um ser com vontade própria e desejos próprios.

Ao desabrochar sua vida no útero, passa a crescer, quando nasce, quando expulso para fora e quando homem.

Não há nenhuma espécie no surgimento do inanimado, quão da célula fora do corpo, nem tão pouco, de algum animal irracional - Não vemos e nem presenciamos nada disso!

O homem ao surgir pensamentos e querer prestar favores egoisticamente, ao seu ego, ao seu auto-excentrismo e seus anseios prazerosos, inventou uma maneira para confundir sua existência provinda de um Criador.

Desenvolveu nele, suposta características vindas de um animal irracional, dum primata, duma evolução imaginaria e de um ser menor em escala.

Mas, pensando bem, precisaria fé para tal desenvolvimento inspirado que se faz ao nível do absurdo, pois, não vemos nenhum apoio empírico e nem sábio nessas suposições.

Contudo, o que imaginar se não sua própria vontade de invenção do imaginário? Por está formado no intrínseco seu livre arbítrio, sua mente passa a aventurar-se no cúmulo da fantasia.

Sua sabedoria passa há ser sua investigação, e sua vontade passa ser seu julgamento.  É uma sabedoria além de ser sábio, onde mostra que não é.

Crer que tudo veio do nada e o nada veio a existir, tentando eliminar o Deus da existência e que fez tudo existir.

Na verdade, Deus permite este tipo de homem na terra, pelo simples fato de provar que ele é livre para pensar no que quiser e até desenvolver sua mente para o erro.

O Deus que existe e fez o homem existir, permite sua existência mais que necessária, a fim de mostrar que pela sua mente humana e sua maneira de pensar, provocará a suma da livre escolha de decisão.

O seu engano evolucionista mostrar-se-á convincente ao mundo sua exclusão ao reino celeste, mas, não é porque Deus não queira salvá-lo, não, é pela sua própria decisão em não acreditar neste Deus que criou tudo.

Nenhum cientista por mais capacitado, jamais comprovará ou provará há não existência de Deus, porque essa capacidade não lhe fora permitida aos seus olhos investigativos.

Tentam crescer sua fé nas suas convicções evolucionistas, porque para se crer em algo que não se possa provar precisa se ter grande fé.

É uma fé mitológica, um conto de fadas, uma fantasia em mundo sobrenatural da suposta existência na evolução dos animais irracionais para um homem completamente racional, mesmo aqueles que querem fazer-se irracional do ponto de vista animal.

Falam de vida nos seres e não percebem o desenvolvimento na solidez de procriarem, crescerem e se desenvolverem fisicamente como também intelectualmente. E isso, não grandes, supostos milhões de anos.

Não há razão em admitir que nada existamos por si mesmo, não, é a sua razão querendo prevalecer sobre a razão real da existência da criação de Deus.

O olho insensato não ver além do que é mostrado na natureza, ele quer vê na natureza criadora a razão da sua existência.

No homem, o nascimento tem um cordão umbilical e este está ligado na placenta e ela dentro do homem. Uma não se separa dá outra até que nasça.

Nós nunca presenciamos o nascimento de homem num útero de um macaco nem tão pouco o contrário. Ficaria a vida inteira observando e nunca haveria tal nascimento.

Entretanto, buscais e não encontrais, tentais e não provais à evolução humana, isso jamais conseguirá, porque o criador Deus é que fez o homem sua existência surgir e sua forma.

Conclusão

Por mais que o homem cientista evolucionista, tente aos custos e barrancos, provar que a genealogia humana tem como indutor, seres inanimados ou o macaco ou outra qualquer espécie, sem reconhecer a Deus como criador, jamais conseguirá tal feito.

É necessário que o homem tente encontrar uma solução da sua existência neste mundo, mas, não é nas suas inspirações fantasiosas quanto fraudulentas que encontrará uma saída.

Olhemos para semente que plantamos e brotam na terra formando uma linda planta. Ela precisa quem as regues; quem as cuide entre às pragas existentes.

O homem precisa de Deus para não influenciar-se com as pragas do evolucionismo da ambição humana em não reconhecer o Deus criador.

A filosofia da fé evolucionista que o homem veio do ancestral irracional: inculcam suas mentes, porque não conseguem provar essa invencionice e que um dia talvez chegue à falência, porque a arqueologia prova cada dia que o paradoxo é real.

A ciência, primeiro precisa crer em algo, ou seja, ter fé em alguma coisa, depois passa a crer ser possível experimentar, mas quando não consegue, vem o desespero e as angústias, uma vez que sua capacidade naquilo que teve como crença, não pode ser provada.

Porém, o crente não, é o contrário, ele crer somente nAquele que fez tudo e pode tudo. E não precisa se preocupar nas provas concretas, porque sabe indiscutivelmente que um Ser Superior a ele, é o criador de tudo.

O cristão tem na sua mente uma premissa, um Deus que cria, que se revela na natureza e que não se possa experimentar tangivelmente.

Essa é sua esperança, essa é sua convicção e essa é sua necessidade, crer somente basta, para aceitar que o homem foi criado por Deus. [Galhardo].

"Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis". Romanos 1:20