segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

As Cartas as Sete Igrejas


                                       Introdução:

                      A palavra “Apocalipse” significa “Revelação”, este livro é uma revelação de um Deus de amor para Sua Igreja. A revelação foi dada por Jesus que pediu a João o amanuense que escrever-se. Ele João era considerado o Apóstolo do amor; por isso, essa relação é dita como uma mensagem especial de amor.

                      Era o tempo do Império Romano, as autoridades romanas perseguiam os cristãos, porque eles queriam que os cristãos prestassem cultos a eles. O livro fora escrito na ilha de “Patmos” (Apoc. 1.1); próxima do Mar Egeu. Mede 16 km por 6 km, ou seja, tem 96 km2. Longe 53 km da costa da Ásia Menor e 60 km a sudoeste de Mileto. Este livro foi escrito para ser entregue as sete igrejas da província romana da Ásia. (Apoc. 1.4,11), que ficava numa região que, hoje, faz parte da Turquia.

                      Os romanos estavam cercando Jerusalém no ano 66 d.C., até conseguirem entrar e destruir Jerusalém no ano 70 d.C. O Apóstolo João, o remanescente dos apóstolos, percebeu que Jerusalém estava preste a ser cercada, rapidamente foge em direção à Pela, na Peréia. Enquanto isso, antes, em Roma no ano 67 d.C. Pedro e Paulo são executados, um crucificado e o outro decapitado.


                       Nessa época, João juntasse aos outros cristãos, e sendo o mais experiente ancião, assume o comando das sete igrejas, que Paulo havia trabalhado e fundado. O amanuense, João, faz os seus leitores ficarem animados e pede para que eles permaneçam fiéis a Jesus Cristo nesse tempo de perseguições e sofrimentos.

                       O seu primeiro combate escrito numa carta é contra a seita gnóstica e suas ramificações. O cruel e maldito, Domiciano está no poder. Ele persegue os cristãos como um feroz animal atrás da sua presa. Eles tentaram matar, João, mas, não conseguiram; então o baniu para Patmos que estava ele já velho. Alguns historiadores acreditam que é lá em Patmos que, João escreve as sete igrejas (Apoc. 2-3), mostra nas suas cartas, que teve visões que deveria ser endereçadas a eles. Alegando que o mal não iria prevalecer, pois em Deus e no Seu filho Jesus, pertence toda à vitória.


                      A mensagem do livro é que Deus é “eterno” (Apoc. 1.4,8); e tudo é criação Dele, até o universo. E que através do seu filho, Jesus, salvará à humanidade (Apoc. 1.5); e que Cristo, é o Messias (Apoc. 1.5); e que deu testemunho sendo fiel: Do pai; da glória do Pai, da vontade do Pai, dos planos do Pai e do amor do Pai (Apoc. 1.5; 2.13). E que também todos aqueles que, escolheu servi-Lo e amá-Lo receberão a recompensa da vida Eterna. (Apoc. 2.10). Conseguindo ser vitoriosos, reinarão juntos com Jesus Cristo e Yhaweh para sempre.


Conclusão: O livro é escrito de forma simbólica e partes literais, para que sua interpretação seja de difícil compreensão; pois, havia muita perseguição na época e como Deus estava guiando-os (cristãos), não queria que à massa romana soubesse o que iria acontecer no futuro. Pois, se soubessem que um dia, os cristãos iriam reinar como sacerdotes e raça eleita, os matariam e os aniquilariam. Deus é amor (I João 4.8), e sendo assim, protege seus escolhidos.