segunda-feira, 11 de novembro de 2013

A Entrega da Natureza do Homem a Deus



A psiquiatria é mais que boa, é muito importante para trazer a paz de espírito; porém, o ajustar do pensamento quanto ser elevado pertence unicamente a Deus.

Jesus disse: “Não sou deste mundo”, o verdadeiro seguidor de Cristo, ou seja, o cristão, não pode ser mundano, pelo simples fato de ser discípulo de seu Mestre.

Os que podem ajudar às pessoas do mundo, geralmente e quase sempre pertence ao mesmo. A paz que a alma necessita pode até alcançar num estado diferente, mas nunca num estado definitivo. Porque o homem se faz todo, quando o infinito passa a envolver-se com o finito.

A justiça no sentido de obediência subordina o homem seu corpo a alma, quanto o homem a Deus e ao próximo.

Mas essa subordinação é feita e nos cercam, num princípio dela em referência ser o homem bom ou mau, numa sabedoria aceita ou na tolice, com isso, provoca uma disputa pessoal.

É bom deixar mais que claro que existem dois tipos de paz. A paz de espírito na “sublimação”, que a psicologia conhece como sendo formada do instinto, paixão e energia, passando para o social e mesmo ao ponto de chegar à ética, num estado de atividade envolvente.

Não há nada de mais nisso, porque sabemos e os educadores sabem muito que se deva levar a criança do que é baixo para elevação do pensamento. E que mesmo sendo criança ela em si possa debater e não aceitar aquém a dirija. Tal grupo de crianças, necessita muitas vezes e quase sempre serem disciplinadas;

Tais disciplinas são-lhes impostas para um estado corretivo, mas nunca possa ser para um estado definitivo, porque o potencial da paz só vem de Deus. Seria o mesmo que você pegue um fio e emende um no outro, mas nunca poderá fazê-lo ser um fio só.

Nenhuma pessoa pode ajustar ou fixar numa mente frustrada e infeliz, a felicidade por completo, porque sua natureza em si não se faz por completa. O incompleto só pode ser completo, quando encontrasse com o completo Deus. A água pode chegar a completar o copo, mas só pode transbordá-lo se houver quem a derrame mais.

Quando a pessoa doente tente através da sua força fazer-se melhor, mesmo sendo disciplinado pela psiquiatria, o que realmente está fazendo nada mais é que seja a autossugestão. Nunca uma transformação sobrenatural.

Porque o psiquiatra faz-se agir pela razão, para tornar-lhe fisicamente melhor, e que ele possa desenvolver-se dentro de si. Porém, uma alma muito aflita, sua cura pode não ser por completa, visto precisa uma força maior de fora para dentro do corpo. E pelo simples fato de já está em conflito não possa muitas vezes fazê-la curada, se não houver o sobrenatural vindo para ele.

Ainda existe o outro grupo, aqueles que são autossuficientes no sentido financeiro, precise em possibilidade ter êxito, mas não conseguem porque está demasiado fraco e deprimido por sua consciência já está perturbada. É onde entra ai a fé em Deus.

O trabalho excessivo, os problemas familiares, a educação dos filhos etc., totalizam-se em conflitos que provoca nele uma falta de esperança, e pior ainda quando não passa ver saída quando o problema não tem supostamente soluções. É por isso, e não outro caminho que muitos se apegam ao comunismo, porque supostamente ver que em meios a tantas necessidades que assola em sua volta, precise de algo que os direcione a fim de fazê-los tranquilos.

Mas, é neste campo que em vez de solução terrestre, muitas vezes causam-lhes mais aflições e angústias, quando percebem que não foram resolvidas suas expectativas. Por vezes seu estado supostamente doentio fica por pior. Uma vez que o terrestre não pode resolver aquilo que só o celestial poderia fazê-lo.

Alguém coloca a mão no formigueiro e não leve uma picada? Quando o homem vive somente para tentar resolver os seus problemas com as coisas terrestres, sua necessidade não está na elevação de viver, mas do que está somente na trajetória que já vive.  Sua escolha não é uma mudança, mas permanecer na que escolheu ser vivida.

Um animal vive com as escolhas que queremos, mas alguém se considera um animal para ser dominado nas escolhas? Logo, se a resposta for, não, a capacidade de decisão de mudança de vida cabe aquele que não é animal, e não sendo, seus sentidos podem ser levados ao divino.

Ainda existe o homem puramente racional, onde todo o seu viver é extremamente racional. É aquele onde o alto nível, faz-se obrigado para que seu viver absorva seus problemas. Aqui ele servirá da sua mente para que supostamente possa resolver suas necessidades, sobre sua capacidade de inspiração que ele acredite ter pela simplesmente razão.

Quase sempre ele é filantrópico, tolerante, favorece a muitos, e ajusta os problemas sociais para as empresas a fim de resolvê-los. O seu intelecto excede sua vontade.  São como dois sapinhos conversando onde um diz: “Penso que vou levantar minha cabeça fora d’água para ver com que se parece o resto do mundo”. Porém, o outro já está tão racional que diz: “ Não seja bobo. Por certo não está você querendo me fazer acreditar que há alguma coisa neste mundo além da água.”

Pensemos, por que uma planta nasce e alimenta o animal e o animal o homem, e tanto as plantas como os animais são absorvidos pelos homens, não teriam os homens serem absorvidos por Deus? Tem uma flor capacidade de dizer que não faz parte da planta? Logo, se a flor é o resultado do que a planta produz em semelhança por se fazer parte dela, o homem pode e é o resultado do que Deus queria que ele fosse: “Sua semelhança”.

Em física um corpo continua em estado de repouso ou de movimento até que forças de fora venham e mudem isso. Assim é o homem que fique num estado de inércia até que venha uma força de fora que o transforme o seu estado. Uma pedra não pode transformar-se em uma escultura se o escultor não trabalhe nela.

Todas essas coisas são pertencentes ao criador, os homens, as plantas, e as pedras, fazem-se criado; e sua mudança só poderá ser alcançada se o criador quiser transformá-las, salvo os homens por ter livre escolha de decisão.

Deus não invade o atributo de escolhas. Mas, seria um privilegio para o homem se Deus o transforme sem ele mesmo querer. Embora, quando Deus no passado interveio em alguns homens sabia que eles aceitariam seu chamado.

Se um tijolo pudesse falar, comer, olhar, pegar ou cheirar, diríamos que isso é uma coisa sobrenatural e milagre. Se uma galinha começasse a ler à Bíblia e recitar poesias, diríamos ser uma coisa mais que sobrenatural e até mesmo impossível para aqueles que não vissem o acontecido.  

Não é admissível e comum vermos tais coisas acontecerem no nosso meio, pelo simples motivo de não terem raciocínio e até mesmo ser inanimados. Mas quanto ao homem,  isso é totalmente possível e aceito. O homem é um ser que raciocina e pode tomar decisões acertadas quanto erradas.

Se o homem deixar-se a natureza do sobrenatural guia-lo de modo não chamar Deus de Senhor, mas de Pai, isto seria um ato de aceitação sobrenatural que o faria melhor seu espírito. O que se parecesse impossível passaria a ser comum. Uma vez que achamos comum uma flor brotar onde nem esperamos que brotem.

Agora, muitas vezes não lhes convêm que o sobrenatural se mostre para ele, porque não entendem bem o que isso poderia fazer. Deus nos fez parecidos com Ele, porque sua aparência é semelhante a nossa, e se isso foi importante quando o homem criado, então, isso não mostra a diferença no trato com relação aos outros seres viventes? -  Claro que sim.

E isso suscita que Deus tenha uma necessidade especial em fazer que o homem possa ter uma ligação completa na alma por Ele. Mas para isto acontecer, haverá de ter uma disposição da participação do homem querer-se fazer semelhante permissão.

O animal submetesse ao homem, como a faca no fogo se submete ao ferreiro.  O homem submetido a Deus absorve sua força de ser e transformasse afiado. Mas como o homem pode conseguir tal feito? Jesus expressou que o homem devesse nascer de novo do espírito (alma) e da água, e que se não fizesse isso, não poderia alcançar o Reino dos Céus. (João 3.5 e 6). Pois bem, por isso deve abrir sua mente para uma renovação na carne através da aceitação do Espírito Santo. Em outras palavras, deixará sua forma antiga de ser para uma aceitação de nova experiência.

Conclusão

Nós podemos aceitar Jesus da seguinte forma: leia à Bíblia Sagrada para que possamos entender o sentido do que ela pretende nos informar do que aconteceu no passado. Estude a historicidade de Jesus Cristo para compreender onde sua moralidade pode nos levar há sermos pessoas éticas.

 O que bom é ruim ao mesmo tempo? A água ela é boa para se matar a sede, embora possamos tomar outro tipo de líquido, somente água matará nossa sede. Se nós vivemos uma vida digna e direita com relação ao sexo, não podemos viver mais? Jesus disse: “Eu vim para que vocês tenham vida e tenham abundantemente.” (João 10.10).

Existem no nosso meio dois tipos de seres humanos: aquele que são carnais descendentes de Adão, onde vive uma vida somente para satisfazer seus desejos animalescos; mas, existem os filhos do Espírito, são aqueles que vivem uma vida em submissão as vontades quanto realizar a de Deus. Os filhos que se parecem com seus pais, são filhos de ligação, mas existem os filhos de adoção que não tem nada sanguíneo dos pais.

Os filhos pequenos os pais os alimentam, porque ainda não sabem comer. Se permitirmos que o Pai do céu nos alimente espiritualmente, crescemos e conseguimos nos alimentarmos sozinhos porque já nos fazemos grandes.

Contudo, o alimento que o pai tem para nos dá nunca se acaba. E água que Jesus tem para nos dá é uma fonte que jorra a vida inteira. Uma natureza pecaminosa falha, só fica forte se esta permitir ser alimentada diariamente.

Um corpo num dia não se alimenta somente uma vez, precisa de no mínimo três vezes. Assim é o corpo natural espiritual uma vez alimentado, fica forte. Quais os alimentos nós estamos comendo? Oração, fé, entrega da mente carnal para o espiritual, muda à natureza da alma doente para uma alma de um corpo saudável.

Lutemos contra nossa natureza, porque se não a natureza da alma perversa, muda sua natureza bondosa. [Galhardo].