quarta-feira, 2 de abril de 2014

Ativista Que Participou de Protesto Na PEMEX Pode Pegar 10 Anos de Prisão


Há um mês, seis ativistas do Greenpeace, entre eles Rosina González, forem detidos pela secretaria da Marinha do México após protesto no edifício sede da PEMEX, petrolífera estatal, pedindo mais energias renováveis e menos combustíveis fósseis na matriz energética do país.
Eles foram acusados de “arrombamento doméstico” e permaneceram presos por 28 horas. Mas o que poderia ter sido um pequeno episódio dramático de uma novela mexicana está se tornando um verdadeiro pesadelo. Após terem sido soltos mediante pagamento de fiança para acompanhar o desenrolar do processo em liberdade, Rosina ganhou uma acusação a mais: “danos” no prédio.
Se a ativista for considerada culpada pode ser sentenciada de quatro a 10 anos de prisão por ter supostamente quebrado uma lâmpada enquanto escalava o edifício. Essa não é a primeira vez que ativistas são acusados injustamente e de maneira desproporcional por se manifestarem publicamente.
Assim como Rosina, 28 ativistas e dois jornalistas foram acusados injustamente por terem protestado pacificamente no Ártico ano passado. Por isso, pedimos ajuda para espalhar entre conhecidos e familiares mais este atentado à liberdade de expressão. Peça a retirada das acusações contra Rosina e assine a petição que pede a criação de um santuário internacional na região.
Junte-se a nós, sua colaboração viabiliza ações que promovem confrontos não violentos e criativos para chamar a atenção da população e desafiar as autoridades sobre os diversos crimes ambientais que são cometidos. Faça parte do nosso time.
http://igrejaremanescente-igrejaremanescente.blogspot.com.br/ * Serão permitida reprodução total quanto parcial, onde poder ser incluídos textos, imagens e desenhos, para qualquer meio, para sistema gráficos, fotográficos, etc., sendo que, sua cópia não seja modificada nem tão pouca alterada sua forma de interpretação, dando fonte e autor do mesmo. P.Galhardo.