segunda-feira, 6 de outubro de 2014

O Nada Existe Para Ser Eu



Em todos nós encontramos o dito ser, algo que está dentro de nós por ser nós mesmos, que constitui em si uma forma consciente ou inconsciente por existir.
Estamos sempre procurando algo que nos encham de vigor, pois precisamos sentir produtivos, e considerarmos indivíduos com uma natureza de alguma maneira sensível.

Em toda a humanidade permanece no mundo ter, pois, um único atributo, aquele que envolve nosso princípio, isto é, nosso existir.

Num ideal que compreende aquilo que infere nossa existência, onde tudo que existe, pode existir novamente. Aquilo que compõe mesmo no paradoxo do nada uma evidência que haverá algo em que existe.

Porque entre o que existe e o que parece não existir envolve nosso ser, uma vez que algo que parece não ser, mas que há, quando existe somente por existir, e mais faz parecer que pode ser.

Pois é, o infinito, composto do ser, e de nós, e do seu, resulta no admitir que no universo parecesses haver algo que pode prolongar uma eternidade, entre nós e o ser.

Essa inerente condição imposta da nossa existência, porque já nos fazemos vivos, transcende nossa compreensão, visto pensarmos que surgirmos supostamente do nada, mas que o que parece não possa ser nada, pois se assim fosse nossa existência nem existiria.

O nada no começo, nem em hipótese pode ser nada, porque como poderia responder do nada fomos feito? Se não há nada referente ao transcendente, como o começo me transformou do nada em suma desde o princípio?

É impossível um ser surgir do nada, uma vez que para o nada, deve haver algo que transforme o nada em algo, que chamamos ser.

Se não houver um ser que surgiu do nada, nós não surgimos de nada, porque do nada não se pode compreender a forma que demude um nada em algo.

O nada tem que ser total, porque é dele que vem o ser, que transcendente até nós, para existirmos ou coexistirmos através dele mesmo.

Como podemos acreditar que no composto da estrutura humana, onde envolve o começo, que nasce num minúsculo espermatozoide um ser, se não antes disso, houvesse algo eterno com princípio não existisse?

A negação do absoluto que se faz num ser superior, não poderia ser explicada de forma contundente, pois este que está além do nada, não é parcial, mas concreto em ser do nada existir.

O que é o ato de existir, não é está presente, de forma e estrutura? Mas existem coisas que estão presentes, e ao que parece não existe feitio e muito menos arcabouço. Ex. O vento.

Analisando a ideia dessa composição, temos que admitir que nem tudo se faz extremamente compreendido, e, portanto, existe. Mas o que é existência, não é aquilo que admitimos quando sabemos que estão entre nós? Pois bem, basta saber que um ser do nada, assim como o vento que surge e ecoa seu som no ar, assim é um ser que totalmente do nada é o nada em si que em nós nos envolve. Esse se chama: Deus.

Não queres admitir que o nada exista, mas admites o vento, até com ligeiro movimento da mão, sentes o nada nela, pois, sentes o vento quando o movimento rápido é feito, e o vento que não estava ali, mas na tua rapidez trouxe há ti.

Deus é fora o compreensivo movimento que uma vez que nós conseguimos ajuntar num só lugar, mesmo que nem peguemos, o ar, permanece quando agimos porque sentimo-lo, em Deus o mesmo.

Assim sendo, compreendido como ao que realmente é não poderá o homem acreditar que não veio do nada, mas que este nada, é aquele que trouxe você para ser, um ser existente.

Porque esses valores existenciais que o homem procura resposta, já estão em absoluto elementos comprovados quando vemos, quem somos. (no sentido que nos fazemos presente no mundo, em forma física e espiritual).

Então, por fim, todos esses atributos presentes em nós trazem-nos a nossa mente que, uma coisa óbvia e concreta, é, a nossa existência tem que ter havido algo que outrora nos trouxe aqui, onde podemos concluir que esse nada, chama-se, Deus. [G].

“Porque eis aqui o que forma os montes, e cria o vento, e declara ao homem qual seja o seu pensamento, o que faz da manhã trevas, e pisa os altos da terra; o Senhor, o Deus dos Exércitos, é o seu nome.Amós 4:13

http://igrejaremanescente-igrejaremanescente.blogspot.com.br/ * Serão permitida reprodução total quanto parcial, onde poder ser incluídos textos, imagens e desenhos, para qualquer meio, para sistema gráficos, fotográficos, etc., sendo que, sua cópia não seja modificada nem tão pouca alterada sua forma de interpretação, dando fonte e autor do mesmo. P.Galhardo.