terça-feira, 7 de maio de 2013

A Criação da Bíblia Parte 2


   A Bíblia começou a ser escrita há milhares de anos por pessoas que viviam na região que hoje conhecemos como Oriente Médio. As línguas usadas por elas mudaram com o passar do tempo. Por isso, a Bíblia não foi escrita em uma língua apenas, mas em três.

   “As cópias originais dos livros da Bíblia eram todas ‘manuscritas’. Isto é, eram todas escritas a mão. O invento da imprensa estava ainda em futuro distante” (A. Grahan Maxwell).

                            Hebraico

A maior parte do Antigo Testamento foi escrita em hebraico. Quando você lê uma página em português, você lê da esquerda para a direita. Em hebraico, se lê da direita para a esquerda, como se observa no exemplo a seguir.



O hebraico é lido da direita para a esquerda:



Escute povo de Israel, o Senhor é o nosso Deus e somente o Senhor.


   O hebraico deixou de ser a língua do povo judeu alguns séculos antes do tempo de Jesus. Ela foi substituída pelo aramaico. No entanto, o hebraico antigo foi usado para se criar o hebraico moderno, falado hoje por judeus no novo Estado de Israel.


Texto hebraico de Isaías retirado de um dos manuscritos do 
mar Morto encontrados nas cavernas de Qumran.




                            Aramaico
   Alguns trechos da Bíblia foram escritos numa língua parecida como o hebraico, chamada aramaico. Um desses trechos em aramaico se encontra no Livro de Daniel. A data do texto é do tempo quando os persas tinham um Império que incluía todas as terras da Bíblia. O aramaico era a língua do Império Persa.
   O aramaico foi falado durante vários séculos. Provavelmente, fosse a língua que Jesus falava.



Curiosidades: Embora somente uma pequena parte da Bíblia tenha sido escrita em aramaico, uma das mais antigas traduções foi feita para uma espécie de aramaico, chamado siríaco.
   O nome Jesus vem do hebraico e significa>
 “O Senhor é salvação”.
A pronúncia provável é “Yeshua”. Na Septuaginta, o nome foi transliterado para “Iesus”, e é assim que o nome aparece no Novo Testamento.
   Os Cristãos dão a Jesus o título “Cristo”, palavra grega que significa que ele é o rei (messias) escolhido por Deus.
A palavra hebraica para Cristo é “Messias”.

                 
Cópia muito antiga da Carta de Paulo aos Romanos, possivelmente do ano 200 d.C. O texto grego está escrito sobre papiro.

Observação: Não esqueça que, o papiro é um derivado de um caule de uma planta dos pântanos.

           Grego
   O Novo Testamento foi escrito na língua grega. Naquela época, quase tudo era escrito em grego. Essa língua era compreendida em todo o Império Romano. O Novo Testamento foi escrito em grego coiné – forma cotidiana fácil de usar, enquanto que a forma escrita oficial tinha regras complicadas. Os cristãos escreveram em grego coiné por que eram pessoas simples que, no dia-a-dia, provavelmente falassem o aramaico e não o grego.
                  Muitos desses manuscritos revelam indício de terem sido copiados              com grande cuidado. Depois de 700 d.C. os judeus eruditos, denominado Massoretas, tornaram sua principal preocupação assegurar a transmissão exata do texto do Antigo Testamento às futuras gerações. Eles estabeleceram normas escritas e pormenorizadas a serem seguidas ao copiarem os manuscritos hebraicos, em especial se estes devessem ser usados nas sinagogas.
   Nenhuma palavra ou letra devia ser escrita de memória. O escriba devia olhar atentamente cada palavra e pronunciá-la antes de escrever.
   Como última precaução contra quaisquer possíveis erros, os Massoretas contavam ainda os versos as palavras e as letras de cada seção. Se essa contagem não se harmonizasse com as cópias recém-elaboradas, o trabalho era recusado. (A.Grahan Maxwell. Você pode Confiar na Bíblia?Casa, pág. 12).


Conclusão: Deus escolheu homens santos, para receber a inspiração dos escritos proféticos e através desta, exercer influências de ensinos para que eles e outros pudessem pensar, e entender à importância das verdades apresentadas; a fim de levarem outros ao conhecimento do mais sublime amor ao próximo e que Ele também tem em prol da humanidade.
O que a escritora americana pensa em relação aos professores? Veja: Os professores devem induzir os alunos a pensar, e a entender claramente a verdade sobre si mesmos. Não basta ao professor explicar, ou ao aluno crer; cumpre despertar o espírito de investigação, e o aluno ser atraído a enunciar a verdade em sua própria linguagem, tornando assim evidente que lhe vê a força e faz a aplicação, (White, 1994: 140). Educação Adventista, p. 32. Editora Casa.


Os ensinamentos de Ellen G. White envolviam princípios metodológicos referentes à fé, levando às pessoas (alunos) a refletir todos os aspectos da realidade da vida. “Toda Escritura inspirada por Deus tem seu uso” (2 Timóteo 3.16). Amém! ([G].