sexta-feira, 13 de setembro de 2013

O Filosofo Humano

   O pensamento lógico influência nossa razão, e um dos elementos primordial na filosofia são observação e reflexão, para levar ao uma análise e uma conclusão.

    Eu vivo como pessoa porque sei que existo. E se minhas razões me levam, a saber, disso, é porque vejo e sei que estou aqui. Logo a razão me faz compreender minha existência, porque penso e a lógica me faz saber ser verdadeiro.

   Minha mente percebe que meu corpo é feito por elementos: físico e composto de espírito (alma), a fim se formar uma confirmação harmônica.

   Neste contexto, podemos formar-se sobre reflexão há origem filosófica do conhecimento, através do pensamento prático, entre o concreto e o espírito.

   O homem é julgado pelas suas amostragens pela premissa de todos os seus atos, nem se descuidando da sua forma de agir de difícil compreensão e confusa ação: seu enfraquecimento e censura todos os observa, mesmo sendo por si próprio, e, problemas constantes que os cercam onde os acidentes se emolduram na sua vida.

 A alma em união com o corpo faz-se direcionar pela verdade, mesmo que neste campo, o verdadeiro seja mentira. Porque o espirito que o direciona divulga-se em direções opostas.

  Embora conhecemos o que é certo, desejamos muitas vezes o errado por parecer que o errado seja certo. E a alma humana seja contraditória por si só. Por isso que, o espirito deve ser submetido ao Espirito Santo para guiá-lo no caminho certo. “Se andares com o Espírito Jamais satisfareis a concupiscência da carne.”(Gálatas 5.16). Porém, o espírito humano vesse em união entre o pensamento e sentimento. E pode a mente querer agir de um jeito e as emoções de outra forma. Logo os dois se contradizem.

   O espírito está ligado à conduta, que o homem leva como princípio de ser educado e, que pode leva-lo na ampliação conatural e coerente do igualitário. Onde sua esperteza é a ideia e zelo, que agem em controvérsia entre a reflexão e a razão, entre o livre e o preso.

   As confusões que os assolam no campo cordato e exclusivismo, combinado em querer ser autossuficiente fica entre a noção e o carinho um problema constante. Pois, o ser humano vive em coletividade, e é, uma exigência do seu devotado ser, fazer-se compreendido.

  E leva-nos a pensar ser o espirito humano um ser conflitante nas suas ações tanto físico como psicológica.


Conclusão: Como o homem é formado por dois elementos: corpo e alma ficam manifestos que seu corpo seja, de natureza completa. Mas, o espírito faz com que a mente raciocine e o corpo aja em conformidade com que a mente articule. Por isso, seria melhor o homem ter uma mente guiada pelo Espírito de Deus (Espírito Santo), para que, o espírito domine as melhores ações tanto, emocional como psicológica no individuo.  "Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz." (Romanos 8:6 ). [G}.