segunda-feira, 27 de julho de 2015

Pregue a Palavra, mas também a prática




Certa vez assinei um documento dando aval para que uma pessoa fizesse um negócio com a autenticidade que havia adquirido.


Comprometi-me com aquela pessoa com que estava disposto a usar meu Nome para defender aquele que necessitava.


É eu sei como é difícil fazermos isso, ainda mais nos tempos atuais onde somente o lucro nos interessa.


É a vida do toma lá se tu me deres algo.


Jesus Cristo comprometeu-se com todo o universo em prol de nós quando veio a terra para ser tentando frente ao grande inimigo – chamado de Satanás.


Não pense que ele poderia cair, pois poderia.


Não pense que ele não estava sofrendo, pois estava.


Não pense que ele não era humano real, pois era.


Não pense que ele não passou pelas mesmas tentações que nós, pois passou, e mais.


Seria uma infinidade de coisas que talvez levássemos anos para escrevermos tudo.


Imagine desde criança já teve que fugir o Egito para não ser morto pelo rei Herodes II.


Contudo, seu amor foi maior que tudo que se vê hoje na atualidade, um amor para dá à vida em prol de muitos. E isso ele conseguiu!


Certa vez disse: “Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos”. João 15:13


Mas, ele não estava sozinho uma vez que mesmo tendo proposto morrer em lugar do homem, ainda assim teve a companhia do Espírito Santo.


Contudo, seu comprometimento estava além talvez da sua própria força e vontade.


Não parece uma contradição dizer isso? Mas lembre-se do que ele disse: “se puder passem de mim este cálice”. Lucas 22.42.


Não foi porque não poderia chegar ao fim do compromisso que havia tomado (decidido), não, foi diante das forças que estavam faltando-Lhe, angustiado, sofrido, etc., veio um momento de desespero, afinal estava em forma humana, e sua divindade só estava ofuscada.


Existe um problema atual, quase ninguém quer se comprometer com ninguém haja vista, temos medo de aceitar que aqueles que outrora foram errado, podem cair de novo.


Então agimos sem nos darmos conta, sem querermos, sem dispormos, sem, sem, sem.


Pensamos assim, é sua condição, foi ele que procurou isso, portanto, o problema é somente dele.


Somos definitivamente egoístas, pois sempre pensamos nos resultados, e o verdadeiro amor, não ver o que uma pessoa tem para nos oferecer, mas antes oferece.


Ignoramos e ainda dizemos: “É inveja de nós!”, inveja de que? De não está fazendo o que você faz? E o que você está fazendo está dentro do contexto bíblico? Duvido! 


Não somos sinceros, por mais que queiramos agradar os outros, não somos!


Somos pessoas que almejamos o que é melhor para nosso umbigo, e pronto!


É isso mesmo! Afinal quem iria comprometer-se com desviado, um excluído?


Nosso compromisso está quando temos o maldito lucro – o papel que nos domina – o dinheiro.


Sim, sem ele, não fazemos quase nada, e, portanto, acreditamos que somos os melhores uma vez que temos e estamos em melhor posição.


Uma coisa é certa, o juízo vem e não tardará para todos aqueles que um dia foi relapso! 


A vingança se aproxima!


Que nós não sejamos nenhum desses! [G].







Um blog abaixo da média, mas além dos fatos.

http://igrejaremanescente-igrejaremanescente.blogspot.com.br/* Serão permitida reprodução total quanto parcial, onde poder ser incluídos textos, imagens e desenhos, para qualquer meio, para sistema gráficos, fotográficos, etc., sendo que, sua cópia não seja modificada nem tão pouca alterada sua forma de interpretação, dando fonte e autor do mesmo. P.Galhardo.