segunda-feira, 22 de junho de 2015

O Evangelho Imaginário


Eu fico perplexo e escandalizado quando os ditos “pastores” não se cansam de inventar doutrinas anti-bíblicas onde não existe.

Aonde iremos encontrar que devemos interpretá-la contextualizando-a, alguns e digo, não são poucos, mostram-se com o fim de querer sempre parecer que sabem, caem quando fantasiam coisas inúteis do ponto de vista escriturístico.

A Bíblia nos diz, “Errais não conhecendo às Escrituras e nem o poder de Deus!” Mateus 22.29; por ai já começa o erro quando a cita de maneira errada.

Aludi-la com um fim para sua própria vontade, é no mínimo ridículo.

Somente mentes que não a estuda pode aceitar tal coisa!
Embora possamos contar histórias paralelas para completar fatos existentes na atualidade, e usá-la com que aconteceu no passado, não é justo e nem sincero, colocar textos nelas onde não os tem.

Veja que, vamos dizer que no passado havia suborno, imoralidade etc., ai podemos inferir coisas que aconteceu antes, mas que hoje acontece o mesmo. Sim, ai fica bem fazer isso!

Entretanto, não podemos bolar como dizer, “Pedro vendeu Jesus por trinta moedas de prata”, só porque ele negou Jesus, iremos acrescentar algo que nunca existiu?  Isso passa da compreensão do que seja o texto real bíblico.

Podemos causar certa confusão na mente daqueles que não entende o texto real.

E mais, duvidar que à Bíblia esteja escrita certa afirmando que assim o pastor disse que era dessa forma.

Mesmo que queiramos usar metáfora com argumento a fim de acrescentar nossa ideia temos que termos o cuidado devido quanto a isso ser verdadeiro.

Uma coisa é querer passar uma mensagem e outra é ela ser certa diante da Escritura Sagrada. 

O profeta que tem um sonho conte o sonho; e aquele que tem a minha palavra, fale a minha palavra com verdade. Que tem a palha com o trigo? diz o Senhor. Jeremias 23:28



 


http://igrejaremanescente-igrejaremanescente.blogspot.com.br/* Serão permitida reprodução total quanto parcial, onde poder ser incluídos textos, imagens e desenhos, para qualquer meio, para sistema gráficos, fotográficos, etc., sendo que, sua cópia não seja modificada nem tão pouca alterada sua forma de interpretação, dando fonte e autor do mesmo. P.Galhardo.